terça-feira, setembro 30, 2014

Testemunho da Inês Figueiredo no jornal "Voz da Verdade"

Saudações,

Ao estarmos prestes a entrar no mês das missões partilho convosco um artigo que saiu no passado Domingo no jornal: "Voz da Verdade" do patriarcado. É um testemunho da Inês Figueiredo missionária que esteve em missão connosco durantes seis meses.
Boa missão a todos!

segunda-feira, setembro 29, 2014

Visita à Ondjila

Muito boa noite a todos os viajantes do cyber-espaço.
Hoje queremos partilhar convosco a recente visita que fizemos à Ondjila, um dos centros do Gungo e que agrega a si sete aldeias.
Este centro é um dos mais distantes da Donga. São 44 km por uma picada muito sinuosa no meio das montanhas e a passar junto a ravinas que não aconselham a andar por ali em tempo de chuva sob pena do veículo resvalar por alguma ribanceira. Por outro lado, também tem zonas baixas que no tempo das chuvas se transformam em pantanais praticamente impossíveis de cruzar. Há ainda zonas com vegetação muito densa e baixa que nos faz por vezes sair do camião para cortar as braças maiores, outras vezes sentimos os ramosa raspar no nosso Mogui Mogui. Mas também que belas paisagens por ali se contemplam. Tudo isto e muito mais em cinco horas de viagem em ritmo calmo e cuidadoso.
Por isso, antes que começassem as “chuvas pequenas” programámos uma visita a esta comunidade que decorreu entre os dias 19 e 23 de Setembro.

Desta vez só fomos eu e a Joaninha, que é natural de lá e já nos acompanha há mais de um ano. Fomos de camião para levar alguns bens muito escassos naquela comunidade devido aos difíceis acessos e que nos foram pedidos: chapas de zinco, sabão, material escolar e bens alimentares básicos (arroz, farinha de trigo, açúcar, óleo vegetal, etc.) E como a cantina esteve bem animada durante aqueles dias… às vezes o problema eram as confusões com os trocos entre pessoas que pouco habituadas estão a manusear o dinheiro e que têm muito pouca ou nenhuma escolaridade.
Mas esta foi apenas uma parte da nossa tarefa; valores mais altos se levantavam.
O dia de sábado foi de reunião com os pais e padrinhos das crianças que iriam ser batizadas no domingo. Os pais já tinham participado em três retiros de dois dias cada um na missão. Agora eram os acertos finais e a preparação espiritual com a celebração do sacramento da reconciliação. Foram dezenas de pessoas que atendi, entre pais, padrinhos e outras pessoas da comunidade (tínhamos visitado esta comunidade em Junho do ano passado), de tal modo que o atendimento entrou pela noite dentro.

O domingo foi o dia grande pela sua importância e pelo tempo que a missa durou: quatro horas! Mas não admira; era mesmo dia de festa depois de um ano… e batizar 54 crianças também leva o seu tempo, com a repetição dos mesmos gestos 54 vezes, mas sempre com o tempo e dignidade que estes momentos merecem. É verdade, 54 só daquele centro. E foram várias centenas de pessoas que ali se concentraram para celebrar o domingo.
Como sempre a celebração foi viva e muito animada. Só dei pelo tempo porque para o fim já estava com fome.
De tarde tiveram lugar mais uns encontros e reuniões. E, parecendo que Deus escutou o que lhe pedimos na missa, à noite veio uma forte trovoada acompanhada também de uma boa chuvada. Oxalá seja prenúncio de um bom ano de chuvas, que os últimos têm sido muito secos.

A segunda-feira foi dedicada ao registo de pessoas que nunca tiveram a sua cédula de vida cristã. Muitas nem têm registo de batismo porque devido à guerra e a um ataque que houve, perderam-se muitos documentos. Certamente, teremos que fazer muitas justificações de batismo.
À tarde mantivemos reuniões com vários grupos da comunidade e à noite assistimos a mais um espetáculo de trovoada e chuva tropical que no meio daquelas montanhas não deixa de impor algum respeito.

Terça de manhã arrumámos as nossas bagagens acertámos algumas contas da cantina e regressámos à Donga. Ainda demos boleia a algumas crianças que foram enviadas pelos pais ao Chitonde porque chegou a informação de que o Estado estava a distribuir comida pelas famílias, devido à seca, mas era preciso ir buscá-la, a pé, a cerca de 20 quilómetros dali.

E por aqui me fico com fotografias que ilustram estes dias. Um abraço para todos e boa semana.
Como sempre, estamos juntos, e voltaremos, se Deus quiser, para partilhar mais um pouco desta missão que é nossa e vossa.
Com amizade,

P. Vítor Mira

domingo, setembro 28, 2014

Reunião mensal de outubro

 Saudações fraternas!

Vimos por este meio relembrar que a habitual reunião mensal do Grupo se realizará no próximo sábado, dia 4 de outubro, às 21 horas, no Seminário Diocesano de Leiria. Entre outros, serão tratados assuntos concernentes à nossa acção missionária em Angola e em Portugal, partilhar-se-ão ideias e vivências e não faltarão os momentos de convívio e de oração.


http://portal.ecclesia.pt/pjuvenil/site/index.php/recursos/documentos/outros-documentos/396-conclusoes-jornadas-missionarias-2014-e-jornadas-nacionais-da-pastoral-juvenil
 
 Aproveitamos ainda para vos fazer um convite à leitura imprescindível das conclusões das Jornadas Missionárias Nacionais / Jornadas Nacionais da Pastoral Juvenil 2014. Para o acesso às mesmas, cliquem por favor na imagem ao lado. 



Também este ano, o Grupo Ondjoyetu marcou presença nestes dois dias de reflexão, aprendizagem, comunhão, alegria missionária. Além da grande variedade de convidados que nos enriqueceram vivamente com as suas partilhas, destacamos aqui uma família de músicos que a todos nós nos encantou com a sua actuação de diversos temas e o seu testemunho de vida: Figo Maduro

Figo Maduro na SIC, em maio de 2014

Até sábado!

sexta-feira, setembro 26, 2014

Obrigado mana Tânia

Olá, muito boa tarde.
Há quanto tempo, não é verdade? Pois é, não têm sido possíveis as nossas habituais partilhas porque o tempo tem sido muito preenchido, com mudanças dos zero aos mil e picos com muita frequência. Eu explico: no Sumbe estamos ao nível do mar (zero), quando subimos ao Gungo passamos dos mil metros de altitude, eh, eh.
E com tudo isto já andamos com umas voltas de atraso, isto é, já se passaram muitas coisas de que não demos conta e ainda desejamos partilhar.

Já foi dada conta de que a Tânia Santos regressou a Portugal. Ficamos contentes por ter chegado bem, ainda que cansadita. É normal.
Mas antes de chegar… partiu. E antes de partir, despediu-se da comunidade, na aldeia da Tuma.
Na missa desse dia leu a primeira leitura em umbundo e todos ficaram impressionados com a qualidade da leitura. Diziam que até parecia que já cá estava havia muito tempo, ainda para mais com a ajuda da indumentária.
No fim da missa foi lida uma mensagem de agradecimento pelo tempo em que esta jovem estudante de medicina esteve no Gungo e pela sua dedicação à comunidade.
Além do trabalho que fez no Gungo a Tânia ainda colaborou nos hospitais provincial e municipal do Sumbe, onde foi muito bem acolhida pelos médicos que ali trabalham que também apreciaram o seu humanismo e amor ao próximo. Foram cerca de 10 dias em que ajudou e aprendeu muito numa experiência algo diferente da do Gungo.
Depois das despedidas no Gungo foi tempo de no Sumbe fazer as tradicionais e demoradas trancinhas realizar a viagem para Luanda, onde tirámos a última fotografia, e partir para Portugal.
Em nome do Grupo Missionário Ondjoyetu e do povo do Gungo queremos agradecer ao “Move-te Mais” a reedição desta parceria pelo quarto ano consecutivo. À Tânia queremos dar os parabéns pela sua dedicação e trabalho que aqui fez.
Dois aspetos destacamos: o fato de ter vindo sozinha, o que aconteceu pela primeira vez no âmbito da nossa parceria com o “Move-te Mais”, e ter aceite vir sem ter na missão nenhum voluntário leigo de Portugal integrado na equipa missionária, ainda para mais tendo-me eu ausentado para Portugal durante dez dias.
Parabéns Tânia, muita coragem para a tua caminhada humana e de fé e para os teus estudos.
Um bem-haja também a todos os que colaboraram de algum modo para a realização desta missão desta jovem estudante de medicina.

P. Vítor Mira

quinta-feira, setembro 18, 2014

Calendário das atividades Ondjoyetu 2014/2015

Saudações missionárias!

Divulgamos desta forma o calendário das atividades Ondjoyetu previstas para este novo ano pastoral.

Aproveitamos para relembrar os eventos mais próximos:
  • 20 e 21 de setembro - Jornadas Missionárias Nacionais / Jornadas Nacionais da Pastoral Juvenil, em Fátima;
  • 4 de outubro - reunião mensal de grupo;
  • 17 de outubro - vigília missionária diocesana;
  • 24, 25 e 26 de outubro - celebração dos 15 anos Ondjoyetu, no mercado de Sant'Ana, em Leiria. 

http://4.bp.blogspot.com/-zJZLw0OSK3Y/VBtAv8-Gq_I/AAAAAAAACtc/iVjgLyUHNUY/s1600/calend%C3%A1rio%2Banual%2B2014-15%2B-%2Bondjoyetu2-2.jpg
Clicar na imagem para ampliá-la.


Tukasi kumosi.
Estamos juntos. 

terça-feira, setembro 16, 2014

Chegada da Tânia Santos

Saudações a todos os que percorrem este espaço,
 
Venho testemunhar a chegada da Tânia Santos, a voluntária da Associação Move-te Mais que esteve em missão em Angola durante um mês e meio a cuidar da saúde do povo do Gungo e a desenvolver formações nesta área.
Chegou na quinta-feira, dia 11, vinha um bocadinho cansada mas animada e cheia de histórias e vivências para contar e partilhar. Destacam-se ainda as trancinhas que lhe ficam mesmo bem.
Cada etapa desta parceria é uma mais valia no sentido de haver melhor saúde no Gungo. É um complemento ao trabalho contínuo que se vai fazendo em ordem ao desenvolvimento da comunidade do Gungo que está sob a responsabilidade da Equipa Missionária.
Um grande bem haja à Tânia pela coragem de ter aceite ir em missão e à Associação Move-te Mais por manter a parceria com o Grupo Ondjoyetu.

terça-feira, setembro 09, 2014

Novidades aquém e além

Saudações a todos os que vistam este espaço,
 
 
Venho dar conhecimento das últimas novidades.
No passado dia, 04 de Setembro, o Pe Vítor regressou a Angola após uma breve vinda a Portugal. No mesmo avião seguiu também a Ana Sofia Pereira, membro do nosso grupo, mas, desta vez, não irá para integrar a Equipa da Linha da Frente.
Em Angola está a Tânia Santos, estudante de medicina, que está a terminar o seu tempo de estadia por terras angolanas. Ao longo desta semana, na quinta-feira, regressa a Portugal para continuar os seus estudos.
 
 
Por cá fizemos, no passado sábado, dia 06, a abertura oficial do ano de actividades do Grupo Ondjoyetu e, ao mesmo tempo, marcámos os 15 anos do início do Grupo. O programa incluiu a celebração da Eucaristia evocativa destas intenções seguida de reunião-convívio em que nos reencontrámos e foi possível transmitir informações e organizar os próximos tempos.

sexta-feira, setembro 05, 2014

Jornadas Missionárias 2014

Nos dias 20 e 21 de setembro, realizam-se em Fátima, juntamente com as Jornadas Nacionais da Pastoral Juvenil, as Jornadas Missionárias 2014, sob o tema Família, um projeto… .
As jornadas continuam o seu objetivo geral de descobrir, aprofundar e traçar novos caminhos de evangelização a partir de Cristo, focando-se este ano, de um modo particular, nos desafios que a sociedade atual lança à Família.

As Jornadas Missionárias começam no dia 20 com o painel Família hoje…, cujos intervenientes serão Margarida Cordo, Pedro Valinho e Joaquim Azevedo, e o moderador o padre João Aguiar. Durante a tarde realizam-se seis workshops em simultâneo, seguidos de um plenário e Eucaristia. À noite, a partir das 21h00, terá lugar um convívio com testemunhos missionários.
No segundo dia, a 21, D. António Couto reflete sobre o tema Evangelho e missão da Família, e à tarde, a partir das 15h00, uma mesa redonda reúne atores, escritores e apresentadores que discorrerão sobre o tema Família e comunicação.

A organização do evento é da responsabilidade da Comissão Episcopal de Missões, das Obras Missionárias Pontifícias, do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil e da CIRP.

Marquem já na vossa agenda! E inscrevam-se aqui.
Para mais informações sobre o Programa, cliquem, por favor, na seguinte imagem:

http://www.opf.pt/index.php/jm2014

“Se as famílias são frágeis por definição, elas são ao mesmo tempo esse lugar único onde sempre se pode manifestar o milagre de amar de novo, amar ainda mais, para além das incompreensões, sofrimentos, desilusões. Amar e sentir-se amado. É que o amor de Deus faz que da sua própria família nos abramos a uma nova família: à família da sociedade, à família da Igreja, à família do mundo. E isto é Missão!” Pe. António Lopes, SVD (Diretor Nacional OMP)

Boas Jornadas Missionárias!

quarta-feira, setembro 03, 2014

Angelicana, mãe de uma grande família

Olá, muito boa noite.
Amanhã já é dia de regresso a Angola. Por isso ainda quero aproveitar para partilhar convosco algumas das últimas novidades da missão.
Na última semana que lá estivemos demos mais uns passos em direção à sustentabilidade da missão, um dos objetivos dos nossos projetos de desenvolvimento.
Depois da primeira capoeira, que já tem habitantes, fizemos a segunda, mesmo ao lado. O objetivo é ter dois espaços separados , um para as galinhas poedeiras, outro para o resto da classe galinácea.
Aqui há uns anos foi oferecida à Angélica Filipe uma porquinha ainda pequena que logo recebeu o nome de Angelicana. Entretanto a porquinha cresceu, ficou prenha, pariu alguns porquinhos, mas comeu-os todos.
Depois “ganhou juízo” e a família cresceu. Já temos ao todo 16 suínos, entre machos e fêmeas, sem contar dois ou três que já comemos, mais três que já foram vendidos e ainda os que morreram. Portanto, a Angelicana é mesmo de boa fibra.
Desde o início que a “família” esteve à guarda da mãe Carolina, no Uquende. Nós fomos apoiando com as despesas da alimentação dos animais. Mas para ela já era um peso. Por isso, há uns tempos começámos a preparar um local que aos poucos foi recebendo melhorias e finalmente ficou terminado neste mês e Agosto. Depois o camião Mogui Mogui Elefante Branco transportou toda a bicharada para a nova “casa”. Ao princípio viu-se que estranharam, depois rapidamente se adaptaram.
A criação destes animais visa apoiar a nossa alimentação (para não estarmos tão dependentes dos enlatados) e também proporcionar receitas para a missão com a sua venda.
Muito obrigado a todos os que de alguma forma foram apoiando a implementação destes projetos.
Um abraço e até breve.

 
P. Vítor Mira

segunda-feira, setembro 01, 2014

Formações na Donga

Olá amigos, boa noite.
Como já foi noticiado, estou em Portugal por uns dias…
Aproveito ainda para partilhar um pouco do que foram os últimos dias da nossa missão antes de vir.
De 14 a 23 de Agosto estivemos no Gungo. Como a cantina da missão estava a precisar de abastecimento, aproveitámos para ir no camião Mogui Mogui Elefante Branco, deixando assim abastecimento para um mês.
Além da peregrinação à Pedra Gonga, a que já fizemos referência, durante esses dias tivemos ainda outras atividades.
A mana Tânia deu três formações: lideres da Pastoral da Criança, Parteiras(os) Tradicionais e Promotores Rurais de Saúde. Pelo meio atendeu inúmeras pessoas que recorrem à missão com vários problemas de saúde. As filas de espera nunca terminam e alguns até parece que querem aproveitar a presença da médica para curar alguma doença que ainda poderão vir a ter quando ela já não estiver…
Durante estes dias também houve retiro de cerca de 50 catecúmenos que andam na escola, aproveitando a pausa escolar de agosto. Num dos dias tivemos aquilo a que chamamos “campanha”: uns foram cortar lenha para missão, outros “capinar” um terrenos que queremos semear nas próximas chuvas. No fim houve surpresa: leite e cereais que tinham oferecido à nossa missão. E como lhes “cuiou” (agradou).  Aquelas crianças e adolescentes ficaram tão animados com o que viveram na missão que nem queriam ir embora… mas tinha que ser porque a seguir vinham outros.
E os que vieram a seguir foram os catequistas, menos do que esperávamos, e os promotores rurais de saúde, cerca de 40. A estes últimos apelámos a que aproveitassem bem a formação e a levassem à prática nas suas vidas, famílias e comunidades. Demos a conhecer que embora a formação para eles fosse gratuita, de fato ela tinha custos que outros suportavam para os poder apoiar.
E foi muito interessante a reação: no fim da formação leram uma bela mensagem de agradecimento à mana Tânia e deram-lhe uma oferta de cerca de 8.000,00 kwanzas (um pouco mais de 50,00 euros). Foi um gesto bonito de quem tem pouco, mas percebeu que mesmo assim também pode partilhar. E a Tânia foi “obrigada” a aceitar.
Mas durante estes dias ainda houve mais… fica para a próxima. Ficam as fotos que ilustram esses dias e um abraço.

P. Vítor Mira