quarta-feira, janeiro 29, 2014

O Nosso Zé Mantorras

Olá, muito boa noite.
Depois de alguns dias de silêncio, aqui estamos para partilhar mais algumas páginas desta missão que é nossa e vossa.
Pelo Natal o catequista José Capoco enviou uma mensagem a pedir medicamento para a queimadura do seu xará. Pelo modo como a informação foi dada pensámos que era algo simples.
Depois de duas subidas e descidas ao Gungo, finalmente apareceu o tal xará. Ele vive numa aldeia chamada Chyica, que fica algo distante da picada em que passamos. Ficámos horrorizados com o que vimos.
Uma criança de quatro anos com um braço bastante queimado, outro um bocado e metade do abdómen queixado numa extensão muito grande e em alguns sítios via-se que com alguma profundidade.
Segundo nos contaram, a criança, numa brincadeira com outros, caiu num brasido. A mãe tinha ido à cidade visitar o pai da criança que tinha tido um acidente de mota. O José estava em casa da tia. Perante o acidente, a solução encontrada foi colocar óleo de palma em cima da queimadura e depois pó da ferrugem do fogo raspada das panelas. E assim ficou aquela criança uma série de dias.
E agora, que fazer? Nenhum de nós é enfermeiro nem médico. Mas trazemos sempre a mala de primeiros socorros para fazer o possível; neste caso também já vínhamos prevenidos.
A Ana Sofia encheu-se de coragem e calçou as luvas de enfermeira. O Carlos seguiu-lhe o gesto para ajudar. O José entrou em pânico, começou a berrar, queria fugir… mas com calma e promessas a Ana lá conseguiu dar-lhe a volta, apesar do choro continuar sempre.
Bem, já estamos atrasados para ir para o Gungo. Depois contaremos mais. Estamos de saída com os dois carros bem carregados. Se Deus quiser, teremos a visita de D. Luzízila Kiala, bispo desta diocese. Regressaremos na terça-feira, se Deus quiser.
Ah, recordo que “Mantorras” quer dizer “homem queimado”.
Um abraço e fiquem bem.

P. Vítor Mira

Nota: esta mensagem era para ter sido publicada a semana passada, antes de subirmos ao Gungo, mas a dificuldade de acesso à Inernet só hoje permitiu fazê-lo.

Reunião mensal de Fevereiro

Walanga! Boa tarde!
Vimos por este meio informar que a habitual reunião mensal do Grupo realizar-se-á no próximo sábado, dia 1 de Fevereiro, às 21 horas, no Seminário Diocesano de Leiria. Entre outros, serão tratados assuntos relativos à actividade missionária “cá e lá”, partilhar-se-ão ideias e vivências e não faltarão os momentos de convívio e oração. Nesta reunião, teremos também a alegria da presença e testemunho do nosso missionário Carlos Neto, que chegará sábado a Portugal, depois de uma missão de 7 meses em Angola.
  

Aproveitamos ainda para relembrar outras movimentações na Linha da Frente: no dia 02/02 (domingo), partirá para Angola, numa visita de 3 semanas à Missão do Gungo, o Pe. David Nogueira, estando previsto o seu regresso para o dia 22/02 (sábado); no dia 20/02 (quinta-feira), rumará a Angola, para uma missão de 3 meses, a nossa missionária Deolinda Ferreira.

Para informações sobre o horário das chegadas e partidas dos missionários (mês de Fevereiro), clicar na seguinte imagem:

https://www.facebook.com/events/1440764702822008/

Tukasi kumosi olondjanja vyosi.
Estamos sempre juntos.

segunda-feira, janeiro 20, 2014

Um projecto a "andar" para depois construir

Saudações a todos os que estão ligados à família Ondjoyetu,
Dêem uma vista de olhos:
video
Como é sabido estamos a preparar uma máquina de comprimir blocos de terra para enviar para a missão do Gungo. Esta máquina servirá para dar continuidade e um novo impulso ao projecto do BTC (bloco de terra comprimida) que se iniciou há um tempo atrás com a construção da moagem.
Encomendámos a fabricação desta máquina para que possa estar adaptada à realidade concreta do nosso Gungo. Eis o resultado: já mexe e faz barulho... Ainda faltam algumas peças mas esperamos que, em breve, comece a fazer blocos para podermos fazer testes.
Um grande bem haja a todos os que têm colaborado com todo o tipo de ajudas desde as materiais às ideias. Assim se vai construindo a família Ondjoyetu em torno de um projecto que ajudará a continuar a construir a missão
 
Juntos na construção de um mundo melhor!

sábado, janeiro 18, 2014

Sentidas condolências


Chegou-me esta manhã a informação de duas pessoas ligadas a missão e que faleceram. Uma delas Lina Neves, a mãe do Bruno Neves, esposo da Sara Moniz e membro do nosso grupo, que vivia na aldeia de Enxara do Bispo, próximo de Mafra, a outra a avó Catarina Nené Palanca, que vivia no Gungo. Por ambas unimos as nossas orações e a ambas as famílias manifestamos as nossas condolências.
As exéquias fúnebres da mãe do Bruno serão em Enxara do Bispo, próximo de Mafra, amanhã Domingo a partir das 15:00h.
Estamos juntos e unidos na dor.

quarta-feira, janeiro 08, 2014

Festa de natal

Um bom ano a todos os que acompanham o nosso blogue.
Este ano a nossa chamada festa de natal, foi no dia da epifania e foi especialmente enriquecida pelo envio missionário da Deolinda Ferreira. A Deolinda disponibilizou-se para ir três meses para Angola em missão junto do povo do Gungo. 
Na celebração assumiu a sua disponibilidades para partir perante o grupo, familiares e amigos e foi-lhe entregue a cruz do missionário pelo Pe David e uma imagem de

Nossa Senhora pelas mão do Sr Armando Franco que no ano passado também lá esteve três meses em missão.

A noite continuou num alegre convívio e provar de iguarias que cada um tinha preparado para o jantar partilhado. Depois de tentarmos provar a maior quantidade possível de pitéu preparados com carinho e dedicação chegou o momento da troca de presentes que na sua maioria foram feitos pelo ofertante.

Esta é uma boa maneira de começar o ano, receber o chamamento de Deus e pô-lo em prática, acolher o que está ao nosso lado no convívio e ter um gesto de carinho dando-lhe uma prenda.
Estamos juntos Jacinta

segunda-feira, janeiro 06, 2014

2.ª Sessão de Formação FEC

O Grupo Missionário Ondjoyetu vem por este meio informar que a 2.ª Sessão do Plano de Formação de Voluntariado organizado pela FEC (Fundação Fé e Cooperação) realizar-se-á no próximo fim-de-semana, 11 e 12 de Janeiro, em Fátima, no Seminário do Verbo Divino.

Seminário do Verbo Divino, em Fátima

As inscrições podem ser feitas até ao dia 8 de Janeiro. Para esse efeito, contacte o Secretariado do Grupo Ondjoyetu ou envie um e-mail para a FEC - geral@fecongd.org -, contendo o mesmo as seguintes informações: nome do(s) participante(s), organização a que pertence(m), tipo de estadia (completa, só refeições, só dormida…).
Apresenta-se a seguir o programa detalhado:

Tema: Voluntariado e Cooperação para o Desenvolvimento
Local: Seminário Verbo Divino – Fátima

Sábado – 11 de Janeiro
09h30: Acolhimento
10h00: Apresentação dos participantes e início dos trabalhos
10h30: As desigualdades no mundo
11h30: Pausa
12h00: Conceitos de Cooperação e de Desenvolvimento                    
13h00: Almoço
14h30: Paradigmas de Desenvolvimento 
16h00: Intervalo
16h30: Voluntariado e Cooperação para o Desenvolvimento - problemas e desafios
18h00: Intervalo
18h30: Sínteses e Conclusões
19h30: Jantar
21h00: Testemunho Missionário   
    
Domingo – 12 de Janeiro
08h30: Pequeno-almoço
09h00: Eucaristia
10h00: Ciclo do Projecto
                - Introdução
                - As fases do Ciclo do Projecto
                - Trabalhos de grupo
11h30: Partilha dos trabalhos de grupo e debate
12h30: Conclusões e indicações bibliográficas           
13h00: Almoço       


Formadores
La Salete Coelho | Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo | Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto
Miguel Filipe Silva | TESE – Associação para o Desenvolvimento |Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto
Jorge Cardoso | Fundação Gonçalo da Silveira, ONGD Jesuíta

Equipa Plataforma Voluntariado Missionário 
Ana Patrícia Fonseca | FEC | 936665042
Ir. Adelaide Varanda | Missionárias Dominicanas do Rosário 

Testemunhos  
Paulo Costa e Voluntários do Voluntariado Passionista


Inscrição na Formação FEC – 1 sessão = 10€; 5 sessões = 20€
Estadia pensão completa = 35€
Refeição = 9€  

http://www.fecongd.org/

 
Boa formação e um FELIZ 2014!

sexta-feira, janeiro 03, 2014

Adeus P. Albino, Adeus Clara

Bom dia e votos de feliz ano novo.
O ano passado terminou com um sentimento de dor e pesar com a notícia da doença e falecimento do nosso grande e querido amigo P. Albino. Pessoalmente, sinto muito esta morte porque foi meu professor e me tem acompanhado ao longo dos anos, tal como o fazia com muita gente, sempre com uma disponibilidade e alegria contagiantes. Damos graças a Deus pelo seu testemunho de humanismo, de cristão e de padre. Que lá do Céu interceda por todos nós, como o fez na terra.
 

Mas o início do ano ainda nos trouxe mais uma situação de consternação e dor.

Pouco faltava para a meia-noite, e já nos preparávamos para, em nossa casa, assinalar a passagem do ano, quando nos ligou o catequista José Capoco, da aldeia da Calunganga, uma das poucas do Gungo onde há rede de telemóvel por ser relativamente próxima do asfalto.
Pedia-nos para irmos com urgência buscar a Clara para o hospital porque estava grave. Perante aquele apelo e seguido da voz suplicante da mãe em lágrimas “me ajuda só, sr. padre”, apenas esperámos alguns minutos para assinalar a passagem do ano com o nosso amigo Anacleto Crespo. Logo a seguir reunimos, decidimos que deveríamos ir eu e a Ana Sofia, enquanto o Carlos e a Teresa ficariam em casa, tanto mais que era de prever que algumas pessoas quisessem acompanhar a doente.
Preparámo-nos e partimos furando a noite serena, de ar morno e quase sem movimento automóvel.

Passada cerca de uma hora e meia estávamos na aldeia. Muita gente estava reunida à volta da Clara cujos gemidos escutámos logo que chegámos. Tinha perdido a visão, o seu respirar era muito difícil e queixava-se muito do pescoço. Com dificuldade conseguimos recostá-la no colo da mãe, Maria de Fátima, dentro do jipe.
A viagem foi dolorosa pelo sofrimento em que sentíamos que a Clara ia. Durante o percurso ainda contatámos para a nossa amiga médica Dr.a Lucinda que nos recomendou dar dois comprimidos no sentido de aliviar tão grande falta de respiração.
Dirigimo-nos ao hospital municipal e, após uma primeira assistência, foi transferida para o provincial. Entretanto, a aurora anunciava a luz do primeiro dia do ano. Como já não era necessário estarmos os dois, a Ana Sofia ficou a acompanhar a doente no sentido de ela ter o melhor atendimento possível, enquanto eu fui para casa para descansar um pouco.
A meio da manhã o Carlos foi buscar a Ana. Celebrámos a missa do Dia Mundial da Paz na nossa capela (todo o programa previsto estava alterado) e preparámo-nos para o almoço com a nossa visita. Mal começámos, o telemóvel tocou para dar a triste notícia de que a Clara tinha falecido, aos 25 anos (vemo-la na fotografia, de boné, ao lado da mãe). Não tínhamos palavras para descrever a tristeza que sentíamos. Era uma jovem bem nossa conhecida e eu, pessoalmente, já a conheço há cerca de 20 anos.
Após o almoço rumámos à morgue do hospital onde encontrámos a família e amigos em altos brados. Com alguma dificuldade devido ao dia que era, conseguimos a certidão de óbito para o levantamento do corpo. A ajuda que a família então nos pedia era que levássemos o cadáver de volta à aldeia. Não é agradável uma missão como esta, mas era necessária. Envolta em panos, pois nem urna havia, o corpo da jovem deitado no nosso jipe, acompanhado por mim e pela Sofia e mais seis familiares. Se na vinda para o Sumbe escutávamos os gemidos altos e aflitos da Clara, agora escutávamos um choro baixinho incessante, tipo moinha, apenas entrecortado pela inspiração, da mãe viúva, privada da sua companhia.
Quando chegámos já toda a gente da aldeia chorava. Fizemos o corpo sair do jipe e foi colocado numa casa de pau a pique. Sentámos um bocado para falar com algumas pessoas, como é próprio desta cultura. Depois fomos junto do corpo, rezámos um pouco com as pessoas ali presentes e despedimo-nos.
O regresso, já com o sol a declinar, foi feito quase sempre em silêncio. A Sofia adormeceu de cansaço e tristeza.


Hoje estamos de partida para a Donga. Se Deus quiser regressaremos dia 12. No programa temos a Primeira Comunhão de crianças e adolescentes, uma ação de formação para catequistas, continuação dos trabalhos de melhoria da Donga, trabalhos na horta e na lavra.

Um abraço para todos e, mais uma vez, feliz ano 2014.

P’la equipa missionária,

P. Vítor Mira

quinta-feira, janeiro 02, 2014

Convívio Ondjoyetu e envio Missionário - 05-01-2014

Saudações e votos de bom ano 2014,

Recordo o convívio missionário do próximo Domingo, dia 05 no Seminário.
O Programa consta do seguinte:

17:30h - Celebração da Eucaristia
18:30h - Convívio com troca de prendas

Durante a celebração da Eucaristia será feito o envio missionário da Deolinda Ferreira, missionária do nosso grupo que se disponibilizou para a missão em Angola por três meses.

P.S. Não se esqueçam de trazer algo para o lanche e uma prenda, se possível, feita por cada um de vós.