sexta-feira, outubro 12, 2018

Calendários Ondjoyetu + Formação FEC


Calendário Ondjoyetu


Calendário das Sessões de Formação da Rede de Voluntariado Missionário - FEC
(para aceder ao folheto na íntegra e em pdf, clique aqui)

sexta-feira, outubro 05, 2018

Agarra o desafio da Missão!

A Conferência Episcopal Portuguesa decidiu que, de outubro de 2018 a outubro de 2019, Portugal viverá um intenso Ano Missionário. Este propósito tem como base a decisão do Papa Francisco de convocar para o mês de outubro de 2019, na Igreja Universal, um Mês Missionário Extraordinário, no contexto do centenário da Maximum Illud, uma encíclica missionária, publicada pelo papa Bento XV em 1919. 

A Nota Pastoral da Conferência Episcopal Portuguesa para este ano missionário com o título “Todos, tudo e sempre em Missão” apela a um maior vigor missionário em todas as dioceses, paróquias, comunidades e grupos eclesiais, desde os adultos aos jovens e crianças. Toda a Igreja se deve sentir em estado permanente de missão, pois ela existe para evangelizar. A missão renova a Igreja, revigora a sua fé e identidade, dá-lhe novo entusiasmo e novas motivações. É dando a fé que ela se fortalece.

O Papa Francisco faz algumas propostas para se preparar e viver o mês missionário extraordinário, mas que podem servir-nos todos os dias: 1 – Encontro pessoal com Jesus Cristo vivo na sua Igreja: Eucaristia, Palavra de Deus, oração pessoal e comunitária. 2 – Testemunho: os santos, os mártires da missão e os confessores da fé, que são expressão das Igrejas espalhadas pelo mundo. 3 – Formação: bíblica, catequética, espiritual e teológica sobre a missão. 4 - Caridade missionária: ajuda material para o imenso trabalho da evangelização e da formação cristã nas Igrejas mais necessitadas.

Para todos sentirmos este imperativo missionário e o de que somos chamados por vocação a sermos universais, é feita a proposta de irmos até outra paróquia, outra diocese, outro país em missão e deste modo tomarmos consciência de que temos responsabilidade não só sobre a nossa comunidades, mas sobre o mundo inteiro.

Este ano, na diocese de Leiria-Fátima, para celebrarmos o outubro missionário, vamos centrar a nossa atenção na Vigararia de Leiria com algumas actividades de animação missionária nas respectivas paróquias, seguindo um programa acordado com os párocos. Um momento importante na celebração do mês missionário é a vigília missionária, que terá lugar no dia 19 de outubro, sexta-feira, às 21h00, na Sé de Leiria, sendo presidida pelo D. António Marto. Nesta noite de oração, realizar-se-á o envio de quatro jovens voluntários Ondjoyetu para a diocese do Sumbe, em Angola: Carolina Oliveira, Inês Moreira e Mónica Rocha, que irão em missão por 1 mês, e Humberto Ribeiro, que irá em missão por 6 meses. É nosso desejo que os jovens participem activamente nesta celebração. Na verdade, o tema da mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Missões é dirigido particularmente aos jovens, pois em outubro se celebra o Sínodo que lhes é dedicado: “Juntamente com os jovens, levemos o Evangelho a todos.” Na mensagem, o Papa Francisco afirma que a fé cristã permanece sempre jovem, quando se abre à missão que Cristo nos confia, e acrescenta que a missão revigora a fé. Convida os jovens a não terem medo de Cristo e da Igreja, pois neles está o tesouro que enche a vida de alegria e partilha a sua própria experiência: “[…] graças à fé, encontrei o fundamento dos meus sonhos e a força para os realizar.” Convida os jovens a olharem para as testemunhas da fé do passado, para aprenderem na escola dos santos, que nos abrem para os vastos horizontes de Deus. Pelo Batismo também os jovens são membros vivos da Igreja e, juntamente com os outros, têm a missão de levar o evangelho a todos. A união na fé e no amor ao próximo são um modo de construir pontes entre as diferentes gerações. A necessidade e urgência da missão continua a ser uma realidade. Há ambientes humanos, culturais e religiosos ainda alheios ao Evangelho de Jesus e à presença sacramental da Igreja. É a missão às periferias extremas, não só geográficas, mas existenciais, para onde são enviados os discípulos missionários, com a certeza de que Jesus está sempre com eles (Mt 28, 20; Act 1, 8). “A missão até aos últimos confins da terra requer o dom de nós próprios na vocação que nos foi dada por Aquele que nos colocou nesta terra (cf. Lc 9, 23-25); para um jovem que quer seguir Cristo, o essencial é a busca e a adesão à sua vocação.” O encontro com Cristo nas várias realidades paroquiais e nas experiências de voluntariado missionário podem ajudar os jovens a decidir-se pelo dom total deles mesmos como missionários para a vida toda.

O mês de outubro será mais uma oportunidade para os jovens cristãos de todas as idades serem discípulos missionários cada vez mais apaixonados por Jesus e pela missão até aos últimos confins da terra.


No dia 29 de setembro, partiram para o Sumbe o Pe. David Nogueira, o Carlos Santos, a Sílvia Antunes e a Vanda Marques, membros do grupo missionário Ondjoyetu. Agradecemos a Deus e às suas famílias pela sua generosidade em quererem partilhar algum tempo das suas vidas com os mais necessitados.

Não esqueçamos: missão é de coração a coração; é partilhar com o outro a alegria de sermos discípulos missionários.

Não nos esqueçamos de rezar pela obra missionária da Igreja, pelos cristãos perseguidos, pelos que na vanguarda, por vezes no meio de muitas dificuldades, anunciam a Boa Notícia a todos os confins da terra. Sejamos generosos na partilha com os mais pobres. Lembro que o ofertório do Dia Mundial das Missões é para as Obras Missionárias Pontifícias, que farão a distribuição dos donativos pelas Igrejas mais necessitadas. Procuremos com a nosso testemunho de vida atrair para Jesus: “Haverá outra maneira de evangelizar que não seja a de partilhar com o outro a nossa experiência de Deus?” (Paulo VI)

Que Maria, Rainha dos Apóstolos, Sta. Teresinha do Menino Jesus, S. Francisco Xavier, S. Pedro Claver, o Beato Paulo Manna (fundador da Obra da União Missionária) e todos os grandes missionários e missionárias que estão junto de Deus intercedam pela obra missionária da Igreja e nos ajudem a todos a sermos verdadeiros discípulos missionários.

Pe. Joaquim Domingos Luís

quinta-feira, outubro 04, 2018

O sonho “sonhado” durante o último ano está a acontecer


E finalmente o dia chegou!
No dia 29 de Setembro partimos da diocese de Leiria- Fátima rumo a Lisboa, ao avião que nos iria trazer à terra que está no coração de todos os missionários Ondjoyetu – Angola. Aqui chegaremos ao Sumbe, ao Gungo, à Donga... Que antes eram apenas nomes e entretanto passarão a ser locais “nossos”.
No aeroporto deparámo-nos com o pesadelo do peso das malas, mas com trocas e baldrocas acabámos por conseguir arrumar e trazer quase tudo. Numa correria desenfreada pelos corredores do aeroporto chegámos ao terminal 44 e, “ops!”, era o 42... volta atrás! E com o coração a pular embarcámos no avião da TAP que nos trouxe a esta terra tão desejada.
Era noite quando aterrámos em Angola, não podíamos acreditar. Ao sair do avião sentimos um abraço caloroso, o calor africano. E, em Luanda, fomos acolhidos pelo Sr. Filipe Santos, nosso compatriota, que nos alojou em sua casa para os primeiros dias.
Durante a estadia em Luanda, tratámos dos preparativos para a ida para o Sumbe aproveitando para fazer alguns recados. Ao provermo-nos de reforços, foram-nos oferecidas muitas, muitas caixas de pudim de baunilha que fomos partilhar com as Pequenas Irmãs da Sagrada Família. Elas têm uma escola para cerca de 2000 mil crianças, para além do apoio familiar e de saúde que dão à comunidade. Deparámo-nos também com alguns imprevistos que acabámos por superar, mas a missão é lidar com isto mesmo, imprevistos e improvisos.
Em resultado de alguns atrasos partimos para a nossa casa do Sumbe. O dia já ia longo o que impossibilitou a tradicional fotografia no Miradouro da Lua. Com a estrada à nossa frente intercalada com pedaços de picada, seguimos a velocidade cruzeiro. Salto para um lado, encontrão para o outro… CHEGÁMOS AO SUMBE!
À nossa espera estava o Sr. António Batata, nosso guarda e o Kiko, o nosso cão, que não cabia de alegria ao ver o amigo Pe. David. À chegada foi-nos dito: “Bem vindos à Ondjoyetu! Esta é a vossa casa”. E isto é verdadeiramente o que sentimos, esta é a nossa casa e esta é também a nossa família.
Durante a estadia no Sumbe estivemos a fazer melhoramentos na casa, a arrumar e a preparar tudo para a subida à Donga na próxima sexta-feira.
Hoje fomos recebidos pelo Sr. Bispo do Sumbe, D. Luzízila Kiala, que nos desejou uma boa estadia e uma boa missão.
Ao sair de casa e ao desejar “Bom dia”, a palavra que mais ouvimos é “Obrigado”. Obrigado é a palavra que temos no nosso coração.OBRIGADO às manas da casa por nos acolherem, OBRIGADO às crianças que nos fazem sorrir em cada encontro acenando, OBRIGADO ao povo do Sumbe.
Os novatos da Linha da Frente
(Carlos, Vanda e Sílvia)

terça-feira, outubro 02, 2018

Reunião mensal de outubro

A próxima reunião mensal realizar-se-á neste sábado, dia 6 de outubro, às 21h00, no Seminário Diocesano de Leiria. Entre outros assuntos, faremos o balanço das Jornadas Missionárias e o ponto de situação da preparação das diversas actividades a realizar neste presente mês. Não faltarão ainda os momentos de convívio e de oração.

Para todos, um bom Outubro Missionário, com a intercessão de Santa Teresinha do Menino Jesus e de São Francisco Xavier, padroeiros das Missões.

Ó Jesus, meu amor! Encontrei finalmente a minha vocação. A minha vocação é o amor. Santa Teresinha do Menino Jesus