quarta-feira, dezembro 29, 2010

Ó natale yiwa...

... como quem diz: Feliz Natal!

O natal no Gungo...

O natal no Gungo foi assim...

Celebração do Natal do Ondjoyetu

No passado domingo, dia 26 de Dezembro o Grupo Missionário Ondjoyetu celebrou o Natal no contexto de família missionária que é.
O encontro teve lugar no edifício do Seminário de Leiria, ao fim do dia.
Começou com um tempo de oração numa das capelas, a que se seguiu o lanche e depois a troca de presentes, muito simples, a maior parte feitos pelos próprios ofertantes. A troca foi feita com base num jogo de dominó. Foi entregue uma peça (em papel) a cada pessoa com dois símbolos. Depois cada um colocava a peça em cima da mesa, encontrando assim a pessoa a quem devia entregar o seu presente.
Foi uma festa simples mas bonita que permitiu fortalecer os laços de amizade e "cumplicidade" missionária entre os membros do grupo. Muitas vezes nos reunimos em trabalho e por isso fazem muito bem estes encontros mais informais e de convívio para que a "família" se torne mais unida. E, claro, o contexto do Natal ainda deu um sentido mais especial a este encontro.
P. Vítor Mira

sexta-feira, dezembro 24, 2010

Santo e Feliz Natal

Caríssimos amigos e amigas, o Natal está a chegar. É tempo de acolher Jesus que vem ao nosso encontro como príncipe da paz. O Grupo Ondjoyetu agradece todo o apoio que tem recebido de todos os seus amigos e deseja a todos um Santo e Feliz Natal com as maiores bênçãos do Deus menino. Partilho convosco um texto da Inês que nos conta como foi o seu último Natal no Gungo. Um abraço para todos vós. P. Vítor Mira Faz agora um ano vivi um dos Natais mais diferentes de todos. Um Natal no Gungo, um Natal em Missão. Um Natal sem as iluminações nas ruas, ou até nas casas, sem árvores de Natal, sem pais natal, sem correrias ou qualquer tipo de consumismo. Talvez um Natal bem diferente daquilo que todos nós estamos habituados. Também se por outro lado, o Natal faz lembrar o encontro com a família, este agora seria bem diferente, afinal, estava bem distante da família biológica. Mas seria a oportunidade para o encontro e partilha com uma família que o meu coração acolheu! Uma semana antes subimos até ao Uquende, uma das aldeias do Gungo, onde estava previsto a celebração do Natal com a comunidade. A semana foi preenchida de actividades com crianças, jovens e catequistas, afinal, o importante seria preparar os corações para acolher Aquele que, mais uma vez, vinha dar-nos a oportunidade de transformarmos a nossa vida. Mas o dia 24, como em quase todas as casas portuguesas, é reservado a preparar alguns miminhos para a ceia de Natal. Esse aspecto também estava providenciado. Da nossa parte, e em conjunto com algumas pessoas locais, fomos fazendo uma mistura de tradições portuguesas com as de Angola. E empenhadas para que tudo corresse bem, a hora da ceia aproximava-se. Já eram 19h quando um catequista veio até nós e muito timidamente perguntou: “Manas, desculpem incomodar, sei que vocês certamente têm muito que fazer, mas não acham que falta um Belenzinho?”. A princípio não estávamos a perceber bem o que o catequista queria dizer, só mais tarde percebemos: “Ah!!!! Falta-nos o presépio!!!!!”. Na Igreja não havia ainda nenhum sinal exterior de que estávamos nesta época natalícia. Mas rapidamente se reuniram algumas pessoas que nos ajudaram a fazer um dos presépios mais bonitos que já vi. A simplicidade de tudo o que existia à nossa volta, com a combinação dos trabalhos que havíamos realizado durante essa semana permitiu a beleza de um presépio de todos e para todos. A imagem da Nossa Senhora e de S. José foram adaptados dos fantoches que usámos no retiro com as crianças, o menino Jesus em barro tinha sido enviado pelo grupo missionário, em Portugal. À volta, a gruta era feita de capim que um catequista arranjou, a estrela era uma folha que um jovem carinhosamente dobrou, as flores foi uma mamã que apanhou. Poderia ser um presépio mais comunitário? Eram já 22h quando todos em procissão cantaram alegremente “Twendi com Belém”, vamos a Belém, e tenho a certeza que lá chegamos. Os cânticos foram cantados bem alto e tocaram lá bem no coração, naquele lugar onde os olhos começam a brilhar e o coração a tocar batuque. Foi um Natal diferente, muito diferente até! Afinal, não está nas coisas bonitas que compramos, ou nas frases bonitas que escrevemos. Encontramo-lo sim na nossa vida, com o amor que temos no coração e o colocamos ao serviço dos outros. Para todos, Onatale Yiwa (Feliz Natal). Mana Maria Inês Pereira

quinta-feira, dezembro 23, 2010

MCE saiu da garagem... e foi solidário

“Deixa de ser uma banda de garagem”. Foi com este lema, que exprime a vontade de sair de si para ir ao encontro dos outros, que o MCE (Movimento Católico de Estudantes) de Leiria resolveu realizar uma iniciativa que tivesse fins solidários. A ideia surgiu no acampamento que teve lugar no Verão passado. Depois de tomada a decisão, a questão era que projecto apoiar. Surgiu a ideia de canalizar a ajuda para o Grupo Missionário Ondjoyetu. Seguiram-se as reuniões para decidir local, data, moldes da iniciativa e modo de a levar por diante. Desde a primeira hora que o grupo missionário também deu o seu apoio, tendo também em conta que seria o beneficiário da iniciativa. O festival de sopas teve lugar na Barreira no passado dia 6 de Novembro. O empenho na organização e divulgação foram grandes e por isso o número de pessoas presente também foi bastante elevado. As sopas eram óptimas e tantas que dificilmente alguém terá provado de todas. No fim das sopas ainda houve bifanas e música com grupos de garagem. Pelo meio ainda houve a organização de dois sorteios; para o primeiro as rifas foram vendidas antes do dia das sopas, para o segundo, no próprio dia. E os prémios saíram mesmo porque foram sorteados à frente de todos. A todos os que estiveram presentes e/ou compraram rifas o nosso bem-haja. Saudamos os jovens do MCE pela iniciativa e pelo modo tão competente como a realizaram; foram incansáveis nos trabalhos de preparação e no próprio dia era muito agradável ver a alegria com que se dedicavam às várias tarefas com um magnífico entusiasmo. É de sublinhar como, sendo tão jovens, conseguiram rentabilizar ao máximo a iniciativa, aproveitando todas as oportunidades para angariar mais uns euros. O seu empenho e dedicação arrastaram outros e por isso também os restaurantes da região colaboraram com a oferta das sopas. Houve ainda outras empresas que colaboraram com outros meios. A ajuda de pais e outras pessoas mais velhas, ainda que sempre numa perspectiva de retaguarda, também lhes deram a confiança de que necessitavam para ir em frente. A paróquia da Barreira também deu um precioso contributo ao disponibilizar o espaço do salão de forma gratuita. No passado domingo, dia 12 de Dezembro, o grupo missionário foi convidado a estar presente na “missa do estudante”, em Leiria, onde foi entregue o cheque no valor de 2.395,73 €. Quando nos foi entregue o cheque senti uma grande emoção por este gesto de generosidade e perguntava-me: “porque não fizeram eles esta iniciativa para angariar fundos para as suas próprias despesas ou para alguma iniciativa ao nível do grupo?” Eles o sabem e Deus também. O Grupo Missionário Ondjoyetu agradece este acto de partilha e confiança. O montante é mais uma ajuda para podermos prosseguir a nossa missão no Gungo; mas o gesto significa que não estamos sozinhos e que Deus se faz presente neste trabalho por gestos como este. Parabéns jovens e que esta experiência fique no vosso coração como sinal da vossa capacidade de organização, trabalho e partilha.
P. Vítor Mira

quarta-feira, dezembro 15, 2010

O Amândio na Linha da Frente

Boa noite.
Mesmo há pouco estive a falar com o Amândio ao telefone. Esta semana ele está pelo Sumbe a ajudar em alguns trabalhos na paróquia da Pedra Um e a fazer algumas reparações no jipe e camião. O P. David está em retiro com outros padres.
Não deu para entrar em pormenores, mas o que falámos (e pelo que já sabia) deu para perceber que o Amândio está satisfeito, a integrar-se bem e a gostar muito da missão.
Toda a semana passada estiveram no Gungo, na aldeia do Uquende. O Amândio tem uma equipa de ajudantes que ao mesmo tempo são aprendizes. A fotografia da equipa de trabalho está publicada neste blogue, onde aparece o Amândio com um grupo de jovens. Já iniciaram os trabalhos de recuperação da capela daquela aldeia; as paredes eram de adobes e algumas ameaçavam cair. Agora estão a começar a fazer paredes novas em pedra, aprovitando para ampliar capela. Além disto, estiveram a trabalhar com a moagem, a fazer experiências para ver se a conseguem rentabilizar mais.
Na próxima semana irão para a Donga, futura sede da missão no Gungo, onde passarão o Natal e farão várias actividades com a comunidade, contando com a colaboração da Lina.
Aproveitamos para informar que a iniciativa do Amândio do passado Verão de semear melancias rendeu ao grupo missionário a quantia de 914,08 €. Todo o resultado da venda reverteu para o grupo.
Agradecemos ao Amândio a ideia e trabalho que teve e a todas as pessoas que colaboraram nesta iniciativa comprando e ainda a todos os que colaboraram na venda das mesmas.
Fica uma fotografia do Amândio a ensinar alguns adolescentes naquela que é a sua profissão, carpinteiro.
Um abraço e continuação de bom Advento.
P. Vítor Mira

sexta-feira, dezembro 10, 2010

Um olhar sobre Angola

Boa tarde amigos!
Venho-vos informar que a nossa exposição fotográfica vai estar no próximo domingo, dia 12, no Juncal.
Estão todos convidados a ver e apreciar as imagens do Gungo.
Um abraço missionário*

terça-feira, dezembro 07, 2010

A nossa equipa está no Uquende

Boa tarde amigos :)
Sei que muitos de vocês gostam de acompanhar a nossa equipa da linha da frente. Por isso aqui vão as mais recentes novidades.
A nossa equipa subiu ao Gungo na sexta-feira dia 03, para uma aldeia que se chama Uquende. Esta é uma das aldeias que mais visitamos porque também é a aldeia mais central demograficamente. Perto dessa aldeia tem uma Igreja que foi contruida no tempo colonial (que podemos ver na foto).
Durante esta visita, o mano Amândio vai aproveitar para trabalhar nalguns projectos como o da moagem, para que se possa rentabilizar melhor. Também está pensado em deitar abaixo as paredes de adobes da Igreja, para que se possa fazer uma nova. Porque estas já correm graves risco de desmoronamento. Para os vários trabalhos que o mano Amândio vai realizar, criou-se uma equipa de jovens que o acompanhará para que possam aprender com ele mais algumas coisas e melhorarem as suas técnicas. Upangue uwa equipa yetu (Bom trabalho nossa equipa) Estamos sempre juntos*

segunda-feira, novembro 29, 2010

Canções de Esperança

Boa tarde.
"Canções de Esperança" dá nome a um espectáculo que terá lugar em Fátima, no Centro Pastoral Paulo VI, em Fátima.
O evento terá duas edições, a primeira no sábado, 11 de Dezezembro, às 21:00 h. e a segunda do domingo, dia 12, às 17:00 h.
Os lucros deste espectáculo revertem a favor das obras de remodelação do Seminário Diocesano de Leiria e é promovido pela Associação dos Antigos Alunos do Seminário de Leiria. Para potenciar os lucros, todos os intervenientes, muitos dos quais antigos alunos, actuarão graciosamente.
Estamos aqui a convidar todos os nossos amigos a participar nesta iniciativa.
O seminário é o coração da diocese. A ele devemos a nossa formação não apenas os padres, mas também muitos outros alunos que por aqui passaram. E quantas outras pessoas não têm benificiado desta estrutura da nossa diocese.
O seminário foi construído nos anos 60, com capacidade para várias centenas de alunos.
Os anos passaram e o edifício começou a precisar de ser remodelado para as necessidades actuais.
Muitos são os grupos de que têm a sua sede no edifício do seminário que sentimos como a nossa casa, entre os quais o nosso grupo Ondjoyetu.
Por todas estas razões convidamos os nossos amigos a associarem-se a esta iniciativa.
Há bilhetes à venda na portaria do seminário, nas paróquias e também podem ser encomendados ao nosso grupo pelo e-mail: animissionarialeiria@gmail.com ou pelo telemóvel 926 031 382.
Cada entrada é 12,50 recordações.
Um abraço e não deixem de colaborar.
P. Vítor Mira

sexta-feira, novembro 26, 2010

Filme "Crianças como nós"

Olá, muito bom dia.
O Grupo Missionário Ondjoyetu acaba de fazer mais um filme, desta vez intitulado "Crianças como nós".
Nos últimos anos o Serviço Diocesano da Catequese, em colaboração com o Serviço de Animação Missionária, tem proposto às crianças da catequese uma caminhada de Advento que inclui a distribuição de mealheiros para a Infância Missionária. O dinheiro recolhido tem sido entregue à Direcção Nacional das Obras Missionárias Pontifícias, como está estipulado.
Este ano, tendo em conta que a geminação e a sua divulgação na diocese faz parte da carta pastoral do Sr. Bipso, por sugestão do responsável diocesano da catequese e com a autorização do Director Nacional das OMP, o fruto da recolha dos mealheiros da Infância Missionária será a favor dos projectos que estamos a desenvolver na missão do Gungo, em Angola. Por isso foram feitos novos mealheiros para esta campanha específica que podem ser pedidos no Serviço Diocesano de Catequese ou junto do Grupo Ondjoyetu.
A fim de sensibilizar as crianças para esta campanha a e dar-lhes a conhecer uma realizdade muito diferente da sua, foi feito o filme de que aqui falamos. Para ver no Youtube clique aqui http://www.youtube.com/watch?v=-i1ztPks7fs ou, se não der, copie este link para a barra de endereços da Internet.
Se pretender ter este filme em DVD pode pedi-lo pelo e-mail: animissionarialeiria@gmail.com
Pode ser usado nas catequeses mas também noutros contextos para animação missionária.
Cumprimentos a todos.
P. Vítor Mira

terça-feira, novembro 23, 2010

A Maria Angélica regressou de Angola

Esta tarde chegou de Angola a Maria Angélica Filipe, do Juncal. A recebê-la estavam vários elementos do grupo missionário e algumas pessoas de família entre as quais o seu filho Nuno. Se a Angélica é por natureza uma pessoa alegre e bem disposta, hoje transbordava esses mesmos sentimentos num sorriso que fazia pressentir os sentimentos da Alma. Trouxe muitos cumprimentos da equipa missionária da Linha da Frente e do povo do Gungo, além de muitas cartas para os voluntários que por lá têm passado e o povo não esquece. Esta foi a segunda vez que a Maria Angélica esteve em missão em Angola. Já tinha estado três meses em 2009. Desta vez foi por seis meses e acabou por ficar sete. Terá sido a última vez? Só Deus e ela o sabem... Esta voluntária leiga é mais uma que tem dado corpo a esta geminação com esta presença pelas terras do Gungo. Também a ela agradecemos o tempo disponibilizado e o testemunho de fé e de doação que a todos dá. Informou-nos que o Amândio Évora, o leigo missionário do Coimbrão que foi há cerca de um mês se está a integrar bem e muito animado com a missão. O povo do Gungo é de facto muito especial e consegue cativar os missionários leigos de uma forma impressionante. Muita coragem para a equipa que agora fica mais reduzida. Esperamos que em breve possam receber reforços para continuar esse belo trabalho. Cumprimentos a todos... e a Missão continua. P. Vítor Mira

sexta-feira, novembro 12, 2010

Trabalhos da retaguarda

Olá amigos hoje venho falar-vos de como a retaguarda participa também na missão missão. Um dos nosso trabalho é o artesanato que vamos fazendo todas as semanas e cujos lucros revertem a favor do grupo missionário. Venho apresentar-vos alguns trabalhos que estão disponíveis para quem os quiser adquirir.
Temos:
- sacos feitos de sacos de café a 5 €, - colheres de pau feitas em Angola a 3 €,
- palhota com o presépio a 2,5€,
- dezena de feltro pequena a 3€,
- terço feitos com sementes vindas do Gungo a 4,5€.
Se quiser de fazer de um destes produtos a sua prende não hesite em contactar o grupo missionário através do mail animissionarialeiria@gmail.com ou do telem 926031382.
mana Jacinta

quinta-feira, novembro 11, 2010

Contra a Pobreza, TU Podes Ser a Diferença - II

No sábado, dia 23, teve lugar o XI Encontro Nacional do Voluntário Missionário que contou com a presença de cerca de 80 pessoas em representação de 17 entidades que trabalham com voluntariado missionário em diversos países, principalmente Portugal e PALOPS. Na parte da manhã, depois do acolhimento, teve lugar uma conferência sobre a temática da pobreza, proferida pelo Dr. Alfredo Bruto da Costa, no Teatro Miguel Franco. Na parte da tarde houve um jogo de pistas pela cidade com workshops em que estiveram presentes a Caritas Diocesana de Leiria, o Serviço Jesuíta aos Refugiados, a Amnistia Internacional e a CAIS. O encontro terminou com a celebração da missa presidida pelo Sr. D. Serafim Silva na Igreja do Espírito Santo, tendo sido oferecida aos participantes uma caneca patrocinada pela Domplex, como recordação da cidade do Lis. Esta actividade foi organizada pela FEC (Fundação Evangelização e Culturas) contando com a colaboração do Grupo Missionário Ondjoyetu (da diocese de Leiria-Fátima) e o apoio da Câmara Municipal de Leiria. Na conclusão desta semana agradecemos à Câmara Municipal de Leiria todo o apoio logístico e institucional bem como a cedência de espaços e autorização para a ocupação de outros. Também agradecemos à Delegação de Leiria da Cruz Vermelha Portuguesa o empréstimo da tenda e a todas as instituições e empresas que apoiaram esta iniciativa e cujos nomes estiveram patentes durante a semana. P. Vítor Mira

sábado, novembro 06, 2010

Contra a Pobreza, TU Podes Ser a Diferença - I

Conforme tinha sido anunciado, a cidade de Leiria viveu, de 17 a 24 de Outubro, uma semana de sensibilização para a luta contra a pobreza.
Vimos agora fazer um pequeno balanço dessa semana.
Na tenda que estava no Largo do Papa existiam dois barómetros. O dos adultos colocava a questão: “Quais as causas da pobreza?” e o das crianças: “O que podes fazer pelos meninos mais pobres?” Os adultos tinham sete tômbolas, entre as quais tinham que escolher uma para colocar uma tampinha. As causas sugeridas e os resultados foram os seguintes:
- Má distribuição da riqueza e corrupção, 278 (43,32%);
- Desemprego, 115 (17,85%);
- Falta de acesso a cuidados de saúde e educação básica, 74 (11,49%);
- Consumismo e má gestão familiar, 65 (10,09%);
- Individualismo e exclusão social, 55 (8,54%);
- Degradação ambiental, 26 (4,03%);
- Outros, 30 (4,65%).
As crianças tinham cinco tômbolas, tendo também que optar por uma. As respostas foram as seguintes:
- Poupar dinheiro para ajudar os outros, 135 (28,18%);
- Não estragar comida, 134 (27,97%);
- Cuidar e poupar material e brinquedos, 89 (18,58%);
- Aproveitar o que aprendo para ajudar os outros, 79 (16,49%);
- Outros, 42 (8,77%).
Anexamos os gráficos que permitem uma melhor visualização das opiniões
Ainda na tenda, os participantes tiveram a oportunidade de apreciar algum artesanato de Angola e de receber um desdobrável com os Objectivos do Milénio para o Desenvolvimento e os “Dez Mandamentos Contra a Pobreza”.
Ao lado da tenda estiveram patentes duas exposições fotográficas “Ser Jovem no Gungo” e “Crianças do Gungo” que permitiram dar a conhecer um pouco a missão que a nossa diocese mantém na do Sumbe, Angola. Também por aí passaram várias centenas de pessoas, muitas das quais deixaram o seu comentário no Livro de Honra da exposição.
Um dos momentos mais altos da semana teve lugar na terça-feira, dia 19 de Outubro, com o espectáculo “Por um Mundo Melhor”, interpretado pela “Academia de Ballet e Dança Annarella”, que actuou gratuitamente, no Teatro Miguel Franco, e cujos lucros reverteram a favor da ADAV.
P. Vítor Mira

quarta-feira, novembro 03, 2010

Sim ou Sopas!

Olá amigos e amigas.
É com este sugestivo nome que o Movimento Católico de Estudantes está a organizar um festival de sopas que terá lugar no próximo sábado, 6 de Novembro, na Barreira, Leiria, a partir das 19:00 h.
Pedimos a todos os nossos amigos e benfeitores que divulguem esta iniciativa e estejam presentes para assim correspondermos a um gesto tão belo como este de organizar esta actividade a favor do nosso projecto missionário.
Aqui fica o cartaz muito apelativo.
Que a nossa resposta seja Sim às Sopas.
Um abraço e até sábado, se Deus quiser.
P. Vítor Mira

domingo, outubro 31, 2010

Avozinha Julieta

Mesmo a terminar o mês das missões, quero dar-vos a conhecer uma pessoa que marca de forma especial os voluntários que vão passando por terras angolana: a nossa avozinha Julieta. A avozinha não sabe muito bem quando é que nasceu, então quando lhe perguntamos a idade ela diz ter “Mil e tal anos”, parece-me que está a exagerar um cabocadinho…. Pela aparência atrevo-me a dizer que terá cerca de 70 anos, na nossa contagem :) . Apesar da sua idade e das muitas dores que sente nas suas pernas, a avozinha dedica-se de alma e coração à missão, ajudando nas tarefas da cozinha e no cuidado da casa, para que na nossa ausência os diversos bichinhos que teimam em visitar a nossa casa, não a destruam.E mais importante que isso é a forma carinhosa e meiga como que ela nos trata…. È mesmo uma verdadeira avozinha. No tempo colonial, a avozinha trabalhou com portugueses, em que a sua tarefa era tomar conta das crianças, e ela gostava muito de aprender, foi aí que aprendeu histórias que nos são muito familiares, tal como é a história do “Capuchinho Vermelho”, por ela intitulada por “ A Chapeuzinho”. Mas respeitando a cultura africana, ela só conta as histórias à noite, depois da oração do terço. Partilho aqui um pequeno filme onde ela está toda contente a contar uma história. video Quando vim para Portugal, a Avozinha pediu-me para dar um recado à minha familia: " Quando fores no "Protrugal" diz que tens aqui uma avozinha de "Mil e tal anos" e que é muito assanhadinha" (bem disposta). Um beijinho muito especial para si, Avozinha, todo o povo do Gungo, equipa da Linha da Frente, e para todos os missionários que do lado de cá vão contribuindo para que a MISSÃO CONTINUE….Um garnde Ndapandula Tchiwa!!!!! Tukasi kumosi olondjanja vyosi!!!! Mana Ana Sofia

sexta-feira, outubro 29, 2010

O Amândio Évora já está no Sumbe

Olá, boa noite.
Faz pouco mais de 24 horas que nos despedimos do Amândio Évora no aeroporto de Lisboa. Neste momento já está no Sumbe e, se Deus quiser, amanhã partirá para a Donga integrado na equipa missionária.
Na hora da despedida o Amândio teve uma razoável "comitiva" a acompanhá-lo, sinal de apoio e incentivo para a sua missão. A sua disposição era boa e nem a perspectiva do "salto" que ia dar lhe tirava uma calma e descontração que nos impressionou. Sentiamos que estava mesmo convicto do passo que estava a dar.
Hoje de manhã falei com ele e o resto da equipa. A viagem correu bem e até se sentiu lisonjeado porque foi tartado por e como padre.
Amanhã de manhã, como dissemos, a equipa parte para a Donga que fica a 130 km do Sumbe, 80 de asfalto, 50 de picada. É neste local que se pensa construir a sede da missão do Gungo.
O Amândio partiu para Angola em regime de voluntariado, como todos os outros missionários deste projecto, e estará lá até fins de Abril.
Além do seu testemunho cristão, também dará colaboração em várias actividades e melhoramentos de que necessitam as várias infra-estruturas que estão ao serviço da missão e também nos projectos que estão em curso.
Agradecemos a Deus mais este dom para a nossa missão, também à sua família, nomeadamente à sua mãe Olívia, que soube entender e aceitar esta decisão.
Desejamos ao Amândio uma feliz missão e que Deus o recompense pela sua disponibilidade.
Rezemos por ele e toda a Linha da Frente.
Um abraço.
P. Vítor Mira

domingo, outubro 24, 2010

Contra a Pobreza TU podes ser a diferença!

Como muito de vocês tiveram conhecimento terminou hoje a semana de luta contra a pobreza. Esta semana iniciou no passado domingo dia 17 com a abertura da tenda e de uma exposição fotografica sobre o projecto "Ser Jovem no Gungo". Foi uma tarde animada e descontraída onde podemos animar musicalmente desde os mais velhos aos mais novos com pinturas na cara.
Esta tenda teve aberta durante a semana e na Terça-feira à noite tivemos um bailado de solidariadade em que os fundos reverteram a favor da ADAV. Foi um espectáculo muito bom, que contou com a colaboração da academia de dança "Annarela"
A semana estava quase a chegar ao final mas no sábado recebemos alguns voluntários oriundos de outras partes do país para participar no encontro de voluntariado missionário. É muito bom conviver e partilhar as experiências missionárias com outros missionários.
A terminar a semana, tivemos a celebração do dia Mundial das Missões, onde pudemos partilhar em conjunto esta alegria de sermos missionários.
A todos os missionários cá ou noutro lado do mundo um feliz dia mundial das Missões e bons trabalhos missionários*

segunda-feira, outubro 18, 2010

D E S A F I O

Quase no fim do Verão, foi-me proposto mais um desafio… escrever algo sobre a missão. Mas como o tempo foge entre os dedos e o trabalho não termina, decidi também eu lançar um desafio ao meu querido amigo Diamantino. Ambos, embarcámos pela 1ª vez na Missão Alentejo 2010. Aqui está um pedacinho do fruto que colhemos =D “ Temos o prazer de fazer parte de um grupo maravilhoso chamado grupo missionário ONDJOYETU, que como já muitos sabem, quer dizer “A Nossa Casa”. É ali mesmo que nos sentimos em nossa casa. E como em todas as casas, a vida avança e novos desafios aparecem todos os dias. Cada um à sua maneira e de maneiras diferentes, fomos informados sobre a missão do Alentejo, que ambos desconhecíamos até há algum tempo. Este ano, tal como no ano passado realizava-se naquela distante, mas bela aldeia chamada Aldeia da Mata. Aceitámos o desafio de partir, depois de uma prévia preparação com a prata da casa, uma equipa muito experiente e competente. Organizámos as malas e lá fomos integrados no grupo devidamente treinado para a missão na linha da frente Alentejana. Foi no mês de Agosto. Os termómetros chegaram aos 40ºC. No entanto, este grupo foi para trabalhar e não foi nem o calor, nem o comodismo, ou outro motivo qualquer que os deteve. Tempo de missão, é tempo de trabalho. Havia muita gente à nossa espera. Os 10 dias, foram para nós tempo de oração, trabalho, estudo e reflexão. Foi preciso organizar muito bem o tempo para que fosse possível cumprir todos os objectivos. No fim, poderá não ter sido o melhor, de maneira nenhuma, mas foi com todo o nosso esforço e dedicação que demos um pouco de nós a esta gente. Criaram-se laços de amizade que originaram nó na garganta, as lágrimas de despedida, os pedidos de voltar de novo mesmo sem podermos, para já, fazer esta promessa. Promessa não, mas propósito sim de voltar. Não sei para onde, mas a missão continuará.” Mana Martinha e Tio Diamantino

terça-feira, outubro 12, 2010

Vigília Missionária Diocesana

Caros amigos, boa tarde.
Como acontece todos os anos, também neste teremos a celebração do mês missionário de Outubro com uma vigília de oração missionária.
Será na próxima sexta-feira, dia 15 de Outubro, às 21:00 na igreja paroquial das Matas (vigararia de Colmeias).
Esta vigília é organizada pelo Serviço de Animação Missionária da Diocese de Leiria-Fátima que é composto por alguns dos principais grupos e institutos missionários presentes na nossa diocese.
Aqui fica o cartaz, o convite a que estejais presentes e a que divulgueis esta iniciativa.
Um abraço.
P. Vítor Mira

segunda-feira, outubro 11, 2010

Semana de Sensibilização de Luta Contra a Pobreza

Caros amigos e amigas, boa tarde. O Grupo Missionário Ondjoyetu, da diocese de Leiria-Fátima, está a co-organizar o XI Dia do Voluntário Missionário, que terá lugar no dia 23 de Outubro, Sábado. Este dia é anualmente promovido pela FEC - Fundação Evangelização e Culturas e nele participam mais de uma centena de jovens associados a movimentos de cooperação missionária com países em Desenvolvimento, sobretudo com os países lusófonos. Este ano a iniciativa decorre em Leiria e a temática será a “Luta Contra a Pobreza”, integrada na sensibilização pelos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM). Tendo nós a honra de acolher este encontro a nível nacional com grupos de todo o país na nossa cidade de Leiria, pensámos em organizar uma semana de sensibilização da comunidade local para esta temática. Isto só será possível graças à Câmara Municipal de Leiria que muito amavelmente se disponibilizou para colaborar neste projecto com o apoio institucional, cedência e autorização para a ocupação de espaços. A semana decorrerá de 17 a 24 de Outubro e o local central será no Largo do Papa onde será colocada uma tenda. Aí serão postos à disposição das pessoas vários materiais de sensibilização e terão, inclusivamente, a oportunidade de participar num barómetro que ajudará a aprofundar as causas da pobreza. O programa fica também em JPEG. Agrdacemos a divulgação desta iniciativa. P. Vítor Mira

domingo, outubro 10, 2010

A mãe do Tino :)

Umas semanas depois deste episódio do Tino, que o Pe Vítor contou, fui ao Gungo e aproveitei para visitar a minha amiga Natinha, a jovem que está na foto.
Esta jovem, de 30 anos, tem dois filhos, uma é a Arlete, de 3 anos, mas eu desconhecia o nome do seu filho mais velho. Ao tentar explicar-me disse o seguinte: "-Ah, O meu filho é o Tino, aquele que o Pe Vitor deu o nome! Quando ele chegou a casa disse que já não se chamava mais Lixo, mas que tinha um nome novo, dado pelo Pe Vítor... agora era o Tino, Diamantino!"
Fiquei muito feliz por a mãe e a criança terem assumido este novo nome. No bairro o Lixo vai sendo conhecido por todos como o Tino. Realmente aquele, e muitos outros meninos, são coisas preciosas e começando com pequenos gestos como este vamos dando-lhe o valor que eles merecem.
Muita coragem jovem Natinha para continuares a educar os teus filhos como uns verdadeiros tesouros, mesmo aquilo que nos deu muita dificuldade e até poderia ser considerado lixo, pode vir a tornar-se um bem precioso como é o teu filho.
Tukasi Kumosi*
Da tua amiga: Mana Inês

quarta-feira, outubro 06, 2010

O meu amigo Tino

Uma das coisas mais curiosas e confusas em Angola é o nome das pessoas. Para começar, é melhor não perguntar “como te chamas?”, mas “qual é o teu nome?”. Se a pergunta for a primeira o mais provável é que o inquirido não entenda. Outra questão é o nome da pessoa, sobretudo se é uma criança: pode ter até três ou quatro nomes pelos quais se dá. Pode apresentar-se pelo nome relativo ao dia da semana em que nasceu (Segunda, Caterça, Caquarta…) pelo nome que lhe deram no dia em que nasceu, pelo nome do Xará, que é uma pessoa de referência de quem se copia o nome. Depois, quando se fazem os documentos para o registo oficial, ainda pode haver outro nome que depois vai ser conhecido como o “nome da escola”. Para terem uma ideia, por vezes há grandes dificuldades até na elaboração de cédulas, documentos de casamento, etc. Mas há mais: por vezes são escolhidos nomes que têm tanto de original como de chocante, pelo menos para nós. Na minha recente visita à Missão do Gungo, quando me encontrava com algumas crianças na aldeia do Uquende, fui perguntando às crianças os seus nomes. Um deles disse: “Lixo”. “Lixo?”, inquiri eu sem querer acreditar. “Sim”, confirmou o miúdo. Fiquei chocado e até algo perturbado. Já tinha ouvido falar destes casos, mas nunca me tinha deparado com nenhum directamente. Movido pelo incómodo, comecei a imaginar outro nome poderia arranjar para aquele miúdo tão franzino e de voz tão fina. E porquê aquele nome? Antes do nascimento daquele menino, a mãe deu à luz três crianças que morreram todas à nascença ou pouco depois. Todos tinham recebido um nome “normal”. Então, quando ele nasceu, recebeu o nome de “Lixo”. Por um lado, porque havia o forte receio de que viesse a ter a mesma sorte dos irmãos (se ia morrer, já era lixo); por outro, vejo atitude quase um desafio à morte: a impotência por fazer alguma coisa que permita manter a vida parece levar a uma rendição perante a morte na esperança de que a mesma se deixe “enganar” e acabe por poupar aquela vida. E não é que às vezes até resulta, como foi o caso. Depois de percorrer mentalmente alguns nomes, disse-lhe: “então agora ficas Tino, de Diamantino; o teu nome agora é Diamantino e dizes aos teus amigos que és Tino”. A minha ideia mudar o nome de algo que se deita fora, que não interessa, por um que signifique algo valioso. Diamantino vem de diamante. A Missão permite-nos estas “acrobacias”. Numa terra em que as pessoas têm tantos nomes achei que não tinha mal mudar este, ainda para mais valendo-me da minha autoridade de padre missionário. Mas nesta história está em causa mais que o nome em si mesmo. A Missão é mesmo esta tarefa de dar às pessoas, tantas vezes oprimidas por situações tão desumanas, uma nova identidade que traga ao de cima sua dignidade de filhos de Deus. Nos dias que se seguiram, junto de adultos e crianças, ia dizendo que aquele menino agora se chama Tino; mas algumas dos miúdos insistiam em dizer “é Lixo” num ar de gozo e até de provocação de quem sabe que o primeiro nome não é assim lá muito simpático. Quando estive a última vez com o Tino ele já me soube dizer o seu novo nome. Espero que ele e os outros não o esqueçam. P. Vítor Mira

segunda-feira, setembro 27, 2010

Servir por Amor...

Olá amigos e amigas Ondjoyetu’s… Venho partilhar mais uma memória da Missão deste Verão no Alentejo! Servir Por Amor…foi o tema da vigília, na semana missionária em Aldeia da Mata.
A vigília contou com três momentos de oração: meditar sobre o exemplo/testemunho de Jesus Cristo; orar pelos que continuam a Missão de Cristo na Terra; e reflectir sobre o papel da comunidade cristã na sociedade. Desta forma, quisemos dar graças a Deus pela acção missionária da Igreja em todo o mundo, assim como pedir pelas vocações missionárias e por todos os que, deixando tudo, levam a palavra de Deus aos quatro cantos da terra. Foi uma vigília pautada pela simplicidade mas, na minha opinião, esta simplicidade deu espaço para uma reflexão mais profunda e sentida. Penso que foi um sentimento comum a várias pessoas daquela comunidade pelos ecos que me foram chegando.
Também, ao longo da semana, nas actividades com as crianças, quisemos que esta vigília as envolvesse, sentindo que também são parte da comunidade viva! Assim, as crianças realizaram em cartolina um pé para que, no final da vigília, todos levassem uma "recordação" material deste momento de oração.
O resultado foi o seguinte:
O pé simboliza a caminhada que temos de percorrer e a impressão digital (representada pelas crianças) simboliza o ser indivíduo. Ou seja, cada um é parte de um todo, de uma comunidade, e o todo precisa de cada um de nós.
Estamos Juntos
Clara Neves

domingo, setembro 19, 2010

Por onde anda a nossa equipa?

Olá amiguinhos :) Como sabem os trabalhos da equipa missionária não param. E ontem, dia 18, a equipa deslocou-se do Sumbe para passar uma semana no centro de Cambinda. Como todos os sítios do Gungo, este centro também é muito bonito, terra de muita fruta, de óptimos cantores e batuqueiros. E além disso tudo, é a terra do nosso querido Tio Vitorino, que mora no bairro do Belém, que pertence a este centro. (Fotografia tirada em casa do Tio Vitorino, junto da sua família) Durante esta semana serão realizadas várias formações, na área da Pastoral da criança (formação para as mamãs), iniciação com crianças, formação para os catequistas, encontro de jovens, entre outros. Colelo Linene equipa yetu (Muita coragem nossa equipa). A nossa oração está sempre convosco e com o querido povo do Gungo. Tukasi Kumosi olondjanja vyosi (esta já não precisa de tradução!!!) Mana Inêgi*

terça-feira, setembro 14, 2010

Queres conhecer o Grupo Missionário?

Dia 24 de Setembro às 21h00 no Seminário de Leiria haverá uma apresentação do Grupo Missionário Ondjoyetu para as pessoas que desejam conhecer a Missão do Gungo, em Angola. Teremos a visualização de um filme com imagens do Gungo e partilha de testemunhos de missionários que deram algum tempo da sua vida à Missão.

Um abraço

sábado, setembro 11, 2010

As manas Maria Inês e Elsa Regressaram

Boa tarde.
Já não é sem tempo que vimos dar a conhecer que as jovens missionárias leigas Maria Inês Pereira e Elsa Pedro regressaram de Angola. A sua chegada aconteceu na tarde da passada quinta-feira, dia 9 de Setembro. Lá estavam a recebê-las seus pais, irmãos, outros familiares e amigos membros do Ondjoyetu.
O momento foi de grande emoção com abraços bem fortes e lágrimas à mistura: pela alegria do regresso de boa saúde, pelo reencontro com as pessoas que se ama e por tantos sentimentos que se cruzam de forma tão complexa. Sim, porque aqueles alegres corações pelo reencontro com os familiares parece que também ficaram pendurados lé pelos embondeiros do Gungo...
A Inês esteve em Angola mais de um ano: além de muitas tarefas que desempenhou, deu particular atenção ao trabalho com os jovens, tendo mesmo levado a cabo o projecto "Ser Jovem no Gungo". Pelo que sabemos a experiência da Inês foi muito marcante e rica.
A Elsa esteve em Angola quase dois meses, aproveitando o tempo das férias escolares. Apesar do relativamente pouco tempo que esteve na Linha da Frente, esta jovem também teve a oportunidade de ter uma vivência que para sempre a marcará.
Aliás, do rosto das duas transparecia a alegria que a Missão lhes trouxe.
Neste momento, da diocese de Leiria-Fátima, estão em missão no Gungo o P. David e a Maria Angélica Filipe. Com eles está a Teresa Paula, jovem do Gungo que desde Junho de 2008 integra a equipa missionária.
Para as nossas manitas Inês e Elsa uma palavra de boas vindas e de alegria pelo seu testemunho de jovens cristãs que sabem colocar o dom maravilhoso que é a vida que Deus lhes deu ao serviço dos outros. E não se esqueçam que a vossa missão continua deste lado e que temos que pedir ao Senhor da messe que envie mais trabalhadores para a sua messe.
À equipa da Linha da Frente a nossa contínua palavra de estímulo e de apreço para continuarem o belo trabalho que têm vindo a fazer.
Ficam as fotografias do dia do regresso.
Cumprimentos a todos.
P. Vítor Mira

segunda-feira, setembro 06, 2010

O Patele yetu já chegou!!!!

Bom dia Amigos!
Depois um tempo de férias, o "Patele yetu" (nosso Padre) já está novamente em terras angolanas! Ontem à noite recebi um sms em que dizia que a viagem tinha corrido bem.
Ele agora está em casa das Irmãs da Sagrada Familia (que para a Linha da Frente são uma verdadeira Sagrada Familia) onde espera pela restante Equipa Missionária.
Colelo Linene (Muita Coragem) patele yetu para mais um ano de missão. Upangue uwa (Bom trabalho)!
Manas Inês e Elsa "Unguende uwa" (Boa viagem) .... e comos se diz por aí.... "Estamos na vossa espera" :)
Mãezinha Angélica, Teresinha e Maria.... Colelo Linene para continuar a caminhar junto desse povo fantástico!!!!
Tukasi Kumosi Olondjanja Vyosi!!!
Um beijinho missionário,
Mana Ana

segunda-feira, agosto 30, 2010

Um momento especial...

Olá amigos Ondjoyetu's mais uma vez, relembramos a missão em Aldeia da Mata que decorreu de 7 a 15 de Agosto. Porque a missão é feita de pequenos e grandes momentos, aqui fica mais um grande momento vivido no Alentejo! Sábado (14 de Agosto) o tema do dia foi “Servir por Amor”. Começámos a nossa jornada com a habitual oração da manhã e, de seguida, fomos ao Crato visitar as Irmãs Carmelitas. É sempre um enorme privilégio estar com as Irmãs. Não há muitas palavras que possam descrever a alegria, o amor e a fé com que nos recebem, ano após ano. Sabemos que nas suas orações a Missão, em particular o Grupo Ondjoyetu e as suas diversas actividades, estão sempre presentes. O tempo que passamos com estas queridas irmãs é sempre tão enriquecedor e passa tão depressa que nos deixa sempre uma enorme saudade e a vontade de estar mais tempo e mais vezes com as elas. Foi um momento muito especial... Esta semana missionária no Alentejo tem recebido o apoio de muitas pessoas. Queremos agradecer a todos o carinho e as orações, em especial às Irmãs Carmelitas, do Crato. Um grande obrigado a todos!
Estamos Juntos Equipa Missionária

sábado, agosto 21, 2010

O comando do portão!

Olá Amigos!!!!
Quando estamos a preparar as "imbambas" (coisas) para mais uma estadia no Gungo, temos que ter sempre muita atenção para não nos esquecermos de nada.
Mas nem sempre as coisas correm como previsto e por vezes algumas coisas ficam esquecidas no Sumbe .... vejam o que nos esquecemos desta vez!
video

Pois é.....alguém se esqueceu do comando automático do portão, então tivemos que usar o fecho manual para podermos continuar a nossa bela viagem rumo ao Chimbango!

:)

Tukasi Kumosi olondjanja vyosi (Estamos sempre junto)

Colelo Linene Linha da Frente.....

Um beijinho grande.....

Mana Ana

terça-feira, agosto 17, 2010

Aldeia da Mata unida a Maria, Mãe da Igeja

Olá amigos Ondjoyetu's,
de regresso da missão em Aldeia da Mata, vão passando pela nossa memória diversos episódios que recordamos com muito carinho e saudade! Como já aqui anunciámos anteriormente, na quinta-feira 12 de Agosto, o dia foi dedicado a Maria, Mãe da Igreja. Assim, passámos o dia no Lar de Santo António e à noite realizámos uma procissão. E este dia não poderia ter corrido de melhor forma, uma vez que fomos surpreendidos pela visita do Padre David, que muito nos alegrou!
A visita ao Lar foi um momento vivido muito intensamente por todos, pois "as avós e os avôs" que nos acolheram e com quem estivemos à conversa são um grande testemunho de vida com muitas experiências para contar e em cada face que vimos um enorme sorriso nos foi lançado!
Outro momento muito significativo foi a procissão das velas! Foi, de facto, uma ocasião muito especial… Muitos foram os que se juntaram a este louvor demonstrando a sua devoção a Nossa Senhora. O caminho percorrido foi iluminado por muitas velas, mas mais do que isso, foi iluminado pelos corações da população da Aldeia da Mata...
O pequeno cesto que transportava Nossa Senhora estava também ornamentado com flores de papel que algumas crianças fizeram numa das actividades, para agradecer e louvar Nossa Senhora.
Para concluir, há imagens que valem por mil palavras…por isso, aqui ficam estas fotos que falam por si!

Estamos Juntos!

Equipa Missionária