quinta-feira, janeiro 07, 2021

Juntos para mais um ano em missão

Saudações caros missionários

                Cá estamos em mais um ano que nos é dado viver e aproveito para desejar a todos um bom ano cheio de coragem para enfrentar cada dia.

                Eis algumas novidades dos últimos tempos para quem acompanha a vida da missão. No dia 18 de Dezembro subimos do Sumbe à Donga para podermos celebrar o Natal. Os dias até ao Natal foram de preparação aos vários níveis. Foi possível preparar catecúmenos jovens e adultos para o baptismo, casais preparam-se para o matrimónio e para apresentarem os seus filhos de colo ao Baptismo. Pelo meio afinaram-se os cânticos, fez-se o presépio e avançou-se com alguns trabalhos práticos.

                Assim sendo, na vigília do Natal foram realizados 17 Baptismos e, no dia de Natal, foi o momento dos 6 casamentos com o Baptismo de 9 crianças de colo. Este foi o culminar dos vários  sacramentos que estavam previstos para a Páscoa e que repartimos em diferentes celebrações ao longo dos meses de Novembro e Dezembro na tentativa de não aglomerar muitas pessoas de cada vez na missão.

                O Natal foi vivido num ambiente mais recatado do que nos outros anos devido ao número mais reduzído de pessoas mas deu para sentir o mesmo calor. Os batuques que estavam a ganhar poeira desde o início do Advento voltaram a soar e a auxiliar o batucar da alegria dos corações.

                Logo após o Natal descemos até ao bairro do Uquende onde celebrámos a festa da Sagrada Família com a comunidade daquele bairro. Terminada esta celebração viemos ver o terminar do ano ao Sumbe e foi no Ondjoyetu que demos graças pelo ano “velho” e acolhemos com esperança o ano novo.

                No passado domingo, fomos celebrar ao bairro do Sapato numa ida e volta a partir do Sumbe. Para aquela comunidade a festa da Epifania foi como que uma segunda celebração de Natal. No final da celebração todos foram ordeiramente (tanto quanto possível) até junto da imagem do Menino Jesus para fazer uma inclinação reverente semelhante ao gesto dos magos do Oriente.    

            Mesmo no meio dos condicionamentos vamos tentando celebrar e vivificar as comunidades o melhor possível.

                Informo que a nossa sementeira na Donga está a morrer devido à falta de chuva. O milho, feijão e jinguba que ansiavam pelas pancadas de chuva do Natal este ano ficaram à mercê do sol forte que tudo está a secar. E como nós grande parte do Gungo e até de Angola.

                Hoje mesmo, estamos de subida à Donga, para vivermos a Assembleia da missão numa versão reduzida apenas com o Conselho Permanente e os catequistas gerais. Deste modo iremos fazer a retrospectiva do ano 2020 e planear as actividades para o ano 2021.

                Agradeço em nome da missão todo o apoio das mais variadas maneiras que foi manifestado ao longo do ano que findou e manifesto a minha união com todos os que assumem esta causa. Estamos juntos para mais um ano em missão.

 


                Pe David

sexta-feira, dezembro 18, 2020

Onatale yiwa! Bom Natal!

                 Saudações a todos os missionários que de uma ou outra forma colaboram e nos acompanham. Eis a partilha de alguns acontecimentos e actividades da linha da frente da nossa missão nos últimos tempos.

                Temos estado empenhados na época agrícola o que fez mobilizar vários grupos dos bairros para capinar. Devido à falta de tractor colocámos o nosso Elefante às charruas e semeámos 3 hectares de milho. No final das sementeiras veio um tractor fazer serviço na área que semeou mais um hectar de feijão e jinguba. Infelizmente a chuva tem falhado nos últimos dias e não sabemos o que vai ser das nossas lavras. O povo olha para o céu e pede a Deus.

                O Clube TLC-Angola veio conhecer o Gungo. Nos dias 31 de Outubro e 1 de Novembro, 10 carros subiram a picada do Gungo enfrentando uma das grandes dificuldades do povo do Gungo. Com esta vinda pretendeu-se dar a conhecer a realidade do povo e suas necessidades e com as visitas vieram ajudas diversas desde alimentação, água, medicamentos, ferramentas, material escolar, alguns acessórios para o nosso cavalinho e sobretudo o abraço à causa da missão que permitirá que não tenha sido um momento pontual mas o assumir de um compromisso para continuar. Foi feita uma visita preparatória que levou aos meios de comunicação o grito pelo mau estado da picada (que já está a melhorar) e pela dureza da vida deste povo.

                No campo da pastoral e da formação das comunidades temos procurado avançar com as caminhadas dentro das dificuldades que este tempo nos apresenta. Temos vindo a preparar os catecúmenos e noivos que estava previsto terem celebrado sacramentos na Páscoa. Nos dias 22 e 29 de Novembro fizemos celebração de Baptismos de 2 pequenos grupos na Donga, no dia 05 de Dezembro foi no centro da Tuma e nas festas do Natal teremos mais um grupo a celebrar Baptismos e casamentos. Procuramos juntar pequenas assembleias. A auxiliar todo este trabalho continua o trabalho mensal dos catequistas visitadores e do Conselho Permanente.

                Nos últimos meses temos acompanhado a vontade de um grupo de camungungos na criação de uma associação de amigos e naturais do Gungo. Foi já apresentado o Núcleo dinamizador para a criação desta associação. Tem elementos a residir no Gungo, outros no Sumbe e tem outros espalhados por Angola e estão empenhados em unir-se para dinamizar o Gungo e vir a ser um auxílio no desenvolvimento da comuna. Estão em colaboração com a missão e nós com eles e deram já uma prestimosa colaboração na preparação da vinda do grupo TLC ao Gungo.

                A Equipa de trabalhos nas várias etapas dos últimos tempos tem avançado com o edifício da serralharia/oficina, uma cerca para os cabritos de maiores dimensões, trabalhos de serralharia, trabalhos de pedreiro, decapagem e pintura de chapa de cobertura, trabalhos na cisterna de recepção do projecto de abastecimento de água… São vários trabalhos sempre com o objectivo de avançar com a Donga e, ao mesmo tempo, também os rapazes avançam com a aprendizagem de novas e velhas coisas.

                Uma das realidades bem conhecida acerca do povo do Gungo é o facto de haver um número elevado de pessoas que não tem registo civil. Neste sentido fomos contactados pela equipa Provincial da Conservatória do Registo Civil que tinham vontade de fazer chegar o registo ao Gungo mas tinham a dificuldade logística do transporte dos materiais necessários. Decidimos dar o nosso apoio e já auxiliámos para que o registo se fizesse no Chieque, no Ambande, na Donga, no Uquende, no Chitonde e está já previsto continuar mais uma etapa no Chitonde e seguir depois para a Tuma. Em números por alto já deve rondar os 3000 registos destas várias etapas.

                Há mais novidades que mereciam ser contadas mas hoje ficamos por aqui e termino com um desejo alargado a todos vós de que o Natal seja renovação do ânimo para todos: Onatale yiwa! (Um Bom Natal!)

terça-feira, outubro 20, 2020

o elefante também semeia

 Nestas semanas que a equipa missionária esteve na Donga começou-se a semear.

O nosso unimog (elefante) a puxar três charruase orientadas pelos charueiros,  semeou cerca de dois hectares de milho em dois dias. Aproveitam-se todos os meios para conseguir trabalhar a terra de uma forma mais eficaz. Agora falta um pouco de chuva e espera-se pela colheita 


segunda-feira, outubro 05, 2020

A cisterna talvez já veda

 Na última semana quando a equipa missionária desceu ao Sumbe,enviou umas imagens de um dos trabalhos que têm feito, que é, acabar de impermiabilizar a Cisterna. 

A próxima subida que aconteceu este fim de semana, será também aproveitada para testar se ficou a vedar convenientemente e assim que estiverem reunidas todas as condições conseguir fazer a ligação da nascente até à Cisterna.  A esperança é que em breve se possa ter água de melhor qualidade na Donga além da que se consegue acumular  na cisterna que se construiu junto à casa da missão e que tem os telhados canalizados para lá.

Aqui ficam alguma fotos dos trabalhadores.




estamos juntos Jacinta


domingo, setembro 27, 2020

o Gungo tem sido notícia em Angola

 Nas últimas semanas várias têm sido as notícias que têm saído nos meios de comunicação social tanto em Jornais como em rádios locais de Angola. Este trabalho tem sido fruto de um grande esforço que o grupo volta a África e seus amigos que conhecem o projeto do grupo missionário e também o acarinham. Neste momento estão movidos pela vontade de fazer um passeio todo o terreno com cariz solidário até ao Gungo .  Para que tal aconteça é preciso melhor as condições principalmete o estado da picada que está muito má e muitas mazelas tem deixado no nosso cavalinho. 

Aqui fica a última notícia que saiu no jornal de Angola e vamos mantendo a esperança que com todos estes esforças se consiga melhor a acessibilidade ao Gungo para facilitar um pouco a vida dos camungungos e o trabalho da equipa missionária.

Para ler a notícia, coloque o cursor sobre a imagem,
clique depois no lado direito do rato e seleccione "abrir link num novo separador/aba".
Aberto o separador, clique na imagem de forma a que ela fique num formato maior.


Um bem haja por todos estes esforços que nos ajudam a todos a caminhar.

estamos juntos Jacinta



sábado, setembro 12, 2020

Algumas fotos desde as últimas novidades

 Saudações caríssimos,

Por cá vamos trabalhando. Não temos transmitido grandes novidades mas vai havendo. Eis algumas fotos e uma pequena frase para acompanharem:

Pintura de chapas

A união faz força a empurrar uma pedra

A comunidade a escolher jinguba

 

Trabalhos de pedreiro na futura serralharia

Os membros do Apostolado da oração na Donga

O Zeferino aprende serralharia

A latada para o maracujá

A porta da nova horta levou um "upgrade"

O caminho para a nova serralharia já está sem pedras











sábado, junho 20, 2020

Confinados, mas activos!


Subimos ao nosso Gungo no passado dia 30 de Maio e, pelo caminho, fomos distribuindo doces e balões antecipando o Dia da criança (1 de Junho) que este ano não podemos comemorar com uma festa de arromba como no ano passado, mas fizemos questão de o marcar de alguma maneira. Como a picada é extensa e a média das nossas viagens para 137km é de 9h, já estava a ficar escuro e esta tarefa terminou na viagem de regresso ao Sumbe no dia 16 Junho. É tão bom ver os seus sorrisos e os pulos de alegria, sentir a felicidade destes pequenos que vão ser o nosso amanhã… Que estes sentimentos encham também os vossos corações, muitas destas prendinhas vêm da vossa generosidade. Aproveitamos para reiterar o nosso agradecimento por todos os apoios, por estarem perto e viverem a Missão connosco. Sim, todos os apoios! Não só os materiais, mas também os telefonemas, as mensagens, as lembranças nas datas comemorativas… Tal como crescem os filhos, também este projeto missionário se desenvolve e são sempre precisas mãos amigas para o cuidar e proteger.
Finalmente chegou à Donga o atrelado! Este atrelado era uma rolote que foi transformada para vir servir a Missão. Veio de Portugal num barco até Luanda, depois de camião até ao Sumbe e de Unimog até à missão. E já trabalhou! Com a nossa gingubinha (amendoim) da lavra.
Estes tempos têm sido duros, é preciso cavar a terra que está bem rija para assim desenterrarmos a ginguba. Depois fica a secar, ripamos da planta, fica mais um tempo ao sol e é ensacada e armazenada à espera de ser malhada e escolhida para se vender. A vida do campo não é fácil e, no entanto, é um dos bens mais importantes que temos, o que garante a nossa vida. Deveríamos ter o Dia do Agricultor! Ou será que já temos?
Já terminámos a renovação do nosso galinheiro, ficou bem bonito com uma porta nova. As nossas galinhas gostaram, em duas semanas já temos 4 ninhos reservados.
A nova serralharia também está a avançar com a betonagem dos pilares e até já tem um pórtico da estrutura metálica de pé.
Trouxemos os nossos gatinhos do Sumbe para dar, já estão todos nas novas casinhas deles a caçar ratinhos e lagartixas.
Nos entretantos o nosso forno solar não pára e assim poupamos no gás e carvão para degustar deliciosos manjares.
Temos feito mais máscaras e ensinado a quem quer aprender a fazer a sua própria máscara. Quem sabe se será um novo futuro para alguém, uma maneira de se emancipar e empreender.
Continuam a chegar até nós vários casos de paludismo, ferimentos causados por acidentes de mota ou de trabalho, casos de tensão alta, enfim uma panóplia de situações que vamos tentando ajudar e dar solução.
Tudo complica com o COVID-19, mas vamos dando o nosso melhor e precavendo-nos sempre com os cuidados a ter.
Continuamos a realizar as nossas celebrações familiares ao domingo respeitando as normas e trazendo conforto para todos os corações.
Sábado, dia 13, concretizou-se o Concelho Permanente, onde se reúnem catequistas visitadores vindos dos 11 Centros que constituem a Missão. A tarefa deles é trazer as preocupações e novidades dos centros que acompanham, incluindo cada bairro, e ,ao mesmo tempo, difundir mensagens e orientações instruindo as pessoas para uma vida melhor. São o elo de ligação de uma área de 2100km2 de difíceis acessos e comunicações; os grandes apoios para o bom funcionamento da Missão.
Nesse dia fizemos um jantarinho "em conjunto" (com as devidas distâncias) e vimos o filme "Francisco, o Padre Jorge". Um filme que retrata a vida do nosso Santo Padre, o percurso dele como seminarista e os problemas e dificuldades com que se deparou no seu país e antes da sua nomeação.
Agora vamos ficar uns diazinhos no Sumbe, depois as manas Sílvia Antunes e Ção Julião regressaram a Portugal e, após a quarentena, voltaremos ao nosso Gungo.
Adeus até ao nosso regresso e continuação de boa missão a todos.

A Equipa Missionária