quinta-feira, janeiro 07, 2021

Juntos para mais um ano em missão

Saudações caros missionários

                Cá estamos em mais um ano que nos é dado viver e aproveito para desejar a todos um bom ano cheio de coragem para enfrentar cada dia.

                Eis algumas novidades dos últimos tempos para quem acompanha a vida da missão. No dia 18 de Dezembro subimos do Sumbe à Donga para podermos celebrar o Natal. Os dias até ao Natal foram de preparação aos vários níveis. Foi possível preparar catecúmenos jovens e adultos para o baptismo, casais preparam-se para o matrimónio e para apresentarem os seus filhos de colo ao Baptismo. Pelo meio afinaram-se os cânticos, fez-se o presépio e avançou-se com alguns trabalhos práticos.

                Assim sendo, na vigília do Natal foram realizados 17 Baptismos e, no dia de Natal, foi o momento dos 6 casamentos com o Baptismo de 9 crianças de colo. Este foi o culminar dos vários  sacramentos que estavam previstos para a Páscoa e que repartimos em diferentes celebrações ao longo dos meses de Novembro e Dezembro na tentativa de não aglomerar muitas pessoas de cada vez na missão.

                O Natal foi vivido num ambiente mais recatado do que nos outros anos devido ao número mais reduzído de pessoas mas deu para sentir o mesmo calor. Os batuques que estavam a ganhar poeira desde o início do Advento voltaram a soar e a auxiliar o batucar da alegria dos corações.

                Logo após o Natal descemos até ao bairro do Uquende onde celebrámos a festa da Sagrada Família com a comunidade daquele bairro. Terminada esta celebração viemos ver o terminar do ano ao Sumbe e foi no Ondjoyetu que demos graças pelo ano “velho” e acolhemos com esperança o ano novo.

                No passado domingo, fomos celebrar ao bairro do Sapato numa ida e volta a partir do Sumbe. Para aquela comunidade a festa da Epifania foi como que uma segunda celebração de Natal. No final da celebração todos foram ordeiramente (tanto quanto possível) até junto da imagem do Menino Jesus para fazer uma inclinação reverente semelhante ao gesto dos magos do Oriente.    

            Mesmo no meio dos condicionamentos vamos tentando celebrar e vivificar as comunidades o melhor possível.

                Informo que a nossa sementeira na Donga está a morrer devido à falta de chuva. O milho, feijão e jinguba que ansiavam pelas pancadas de chuva do Natal este ano ficaram à mercê do sol forte que tudo está a secar. E como nós grande parte do Gungo e até de Angola.

                Hoje mesmo, estamos de subida à Donga, para vivermos a Assembleia da missão numa versão reduzida apenas com o Conselho Permanente e os catequistas gerais. Deste modo iremos fazer a retrospectiva do ano 2020 e planear as actividades para o ano 2021.

                Agradeço em nome da missão todo o apoio das mais variadas maneiras que foi manifestado ao longo do ano que findou e manifesto a minha união com todos os que assumem esta causa. Estamos juntos para mais um ano em missão.

 


                Pe David