quinta-feira, fevereiro 28, 2008

É mesmo Ondjoyetu - A Nossa Casa

Este pormenor da casa da missão justifica bem o nosso do nosso grupo missionário: Ondjoyetu - A Nossa Casa. Porque esta casa que foi feita é a casa de muita gente que para ela contribuiu não com com meios financeiros, mas com os próprios materiais. Nesta foto vemos três portas: a da direita vai para a cozinha, a do meio para a sala das visitas e a da esquerda para um dos quartos da casa. Mas existem outras também diferentes destas, tais como janelas, e sanitários. São materiais que já estiveram aplicados noutras casas e que, tendo os seus donos mudado estes equipamentos, no-los ofereceram. E como eles são úteis e funcionais. Aqui se aplica um ditado missionário: nada se perde, nada se estraga, tudo se aproveita. Um grande bem-haja a todas as pessoas que nos ofereceram estes e outros materiais. E que tal uma vista à vossa nova casa? Cumprimentos. P. Vítor Mira

5 comentários:

Anónimo disse...

Estou disponivel! Quando é a partida? Pelo menos na mente e no coração.Estamos juntos. Rezo por todos.Tchauuuué.Vossa mana: Ir.nancy

joaquim disse...

Por qualquer razão que já não lembro vim aqui parar!
Tal como a Nancy também pergunto quando é a partida?
Pelo menos vou em oração...
Um abraço para todos e para si Pe Victor.

Joaquim Mexia Alves

lenantunes disse...

Tenho pena de não pertencer a este maravilhoso grupo. Por enquanto não estou desponível.
EStou convosco em oração

MiradeJesus disse...

Olá Lena.
Muito obrigado pela sua visita.
Mesmo que não possa integrar este grupo por agora, se o quiser conhecer melhor tem a oportunidade disso na próxima terça-feira, 11 de Março, às 21:00 h. no seminário de Leiria.
Se precisar de mais informações, diga.
Cumprimentos.

P. Vítor Mira

lenantunes disse...

Conhece o João da Gândara dos Olivais - Leiria?
Ele esteve em Angola numa missão voluntária. Eu sou irmã dele. Habito em Tomar.
Também gostava de participar activamente no voluntariado, Porém ainda não tenho disponibilidade. Tenho a famíla e a minha profissão e a família ainda depende muito de mim.
Quando for mais velha, reformada, e se ainda pertencer ao mundo dos mortais, quiça então possa ajudar os mais carenciados!
Beijos
Helena