sexta-feira, junho 04, 2010

Trabalhos no Chimbango

Bom dia.
Como se recordam estamos no Chimbango. A noite de domingo para segunda já foi um pouco mais longa e já deu para retemperar mais as forças.
A segunda-feira, 26 de Abril, começou com uma reunião com as autoridades locais, conhecido por sobas.
O local escolhido foi a capela, o único local adequado a esse fim.
O primeiro ponto foi a apresentação das várias pessoas, nomeadamente das que estavam ali pela primeira vez.
Nessa reunião pudemos ficar a conhecer mais em concreto as necessidades daquela comunidade tão isolada, muitas delas comuns a todo o Gungo. Algumas destas pessoas são cristãs, outras não. Mas todas elas valorizam e apreciam muito a presença dos missionários e o trabalho que ali realizam, embora lamentem o espaçamento das visitas. Por eles a equipa ficaria sempre ali para aprenderem o que ainda não conhecemos, como eles próprios dizem.
Também se falou da novidade que é as crianças já poderem estudar até à segunda classe em escolas que ainda vos daremos a conhecer. A abertura das duas turmas deu-se após a primeira visita da equipa missionária àquela zona, que teve lugar em Fevereiro de 2009.
Outro ponto de que se falou foi da visita pastoral do Sr. Bispo que terá lugar de 24 a 28 de Junho. Como ele também nunca esteve nesta zona da sua diocese, este ano a visita centrar-se-á nesta zona do Chimbango, o que é motivo de grande satisfação e alergia para toda a gente.
Devido ao isolamento daquela zona, muita gente tem dificuldade em expressar-se e entender a lingua portuguesa. Por isso durante a reunião teve que se falar muitas vezes em umbundo, recorrendo à tradução feita pelos catequistas.
Deixamos um pequeno filme no momento em que se fala da grande distância que os missionários têm que percorrer para ali chegar devido ao facto de as picadas estarem ainda fechadas. E fica também a fotografia que tirámos no fim da reunião.
Cumprimentos para todos.
P. Vítor Mira.
video

1 comentário:

Anónimo disse...

Boa noite
obrigada Pe. Vítor por nos dar a conhecer uma realidade muito diferente da nossa, só a seguir estes vídeos e imagens, conseguimos compreender a vivência deste povo e as suas condições de vida. Quem segue este blog não fica de certeza indiferente. Uma coisa é ajudar sem ver, mas estas imagens tocam-nos no fundo e mesmo sem nos pedirem algo, nós ficamos sensibilizados para partilhar o que muitas vezes não nos faz falta.
Bem hajam a todos vós por este magnífico trabalho de entrega e ajuda!